terça-feira, 31 de dezembro de 2013

Especial Véspera de Ano Novo

Para quem curte uma passagem de Ano com muitos fogos, shows e festa - mas não curte multidão - o Rio de Janeiro oferece várias opções interessantes.

Este ano, além da praia de Copacabana, haverá apresentações musicais e queima de fogos no Aterro do Flamengo, Ilha do Governador, Ilha de Paquetá, Penha e Piscinão de Ramos.

Na página WikiRio está disponível a programação completa em cada um destes locais. E abaixo alguns momentos do Reveillón 2013 no Flamengo.

O Aterro do Flamengo é ponto de encontro de familiares e amigos, com pouca ocorrência de turistas.

Também há a tradicional queima de fogos.

Para este ano, a previsão é que a queima dure em torno de 20 minutos.





Desejamos a todos um 2014 com muitos caminhos a serem percorridos, metas a serem alcançadas e sucesso em todas as empreitadas!

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Cenas de um verão Carioca - Rio de Janeiro - RJ

O verão chegou com força total no Rio de Janeiro, trazendo muito calor, praias lotadas e belas imagens!

Gastando Sola nas areias que unem Copacabana à Praia do Leme coletamos alguns momentos que expressam bem o clima de final de ano e desta estação em terras cariocas.


Quase tudo pronto para a Virada do Ano em Copa!

Fim de tarde e as nuvens se juntaram para proporcionar um belo espetáculo.

Bate-papo à beira mar, tem programa melhor que este?

E com tanto calor, haja água pra dar conta!!

domingo, 29 de dezembro de 2013

Iemanjá na Praia do Leme - Rio de Janeiro - RJ

A chegada do final de ano é um momento propício para refletir sobre o tempo que passou, agradecer pelas graças alcançadas e desejar que um futuro melhor esteja a nossa espera.

Muitas são as formas de expressar estes sentimentos e uma delas teve lugar na Praia do Leme ontem, dia 28 de dezembro, com uma bonita festa para a mãe de todos os Orixás: Iemanjá.

Médium saúda Iemanjá antes do início dos trabalhos.
 Iemanjá é a Deusa das Águas e a Rainha do Mar, sendo o Orixá feminino mais popular do Brasil. É considerada a grande mãe, a energia feminina que cria e protege todos os seus filhos, os lares e a família.

A cerimônia foi marcada por momentos de muita devoção.


















Para a realização dos trabalhos foi marcado um grande terreiro nas areias da praia e colocado em seu centro uma oferenda em forma de barca com a imagem de Iemanjá. Nela as pessoas colocaram seus melhores desejos para 2014. Ao final da cerimônia esta oferenda é levada à Orixá que a acolhe em seu reino através das ondas do mar.













Iemanjá em sua barca, com Pai Joaquim ao fundo.
Médium que incorporou Omulu presta homenagem à Iemanjá.
Durante a cerimônia diversos Orixás foram incorporados pelos médiuns, entre eles O Marinheiro, Iemanjá, Nanã, Omulu, Erês e Ogum.

Que Oxalá nos proteja e Iemanjá não nos desampare!

A festa à Iemanjá foi uma iniciativa do Centro de Umbanda Caminhos de Aruanda - CUCA.
Página do Centro: http://www.caminhosdearuanda.com.br/

Este post é uma singela homenagem a minha tia Olga, médium que nos deixou a todos saudosos e esperançosos de tornar a encontrá-la novamente.

sábado, 28 de dezembro de 2013

Ultraman vai ao Museu Histórico Nacional - Rio de Janeiro - RJ



Ultraman, sucesso desde 1966.





De dezembro a janeiro, o Museu Histórico Nacional - MHN está com uma mostra no mínimo inusitada e que vai fazer muito marmanjo relembrar das horas que passou em frente da TV torcendo para que o Aiata chegasse a tempo de virar Ultraman e salvar o Japão, quer dizer, o mundo da invasão de monstros espaciais.









É a exposição Japão: Reino dos Personagens, realizada pelo Consulado Geral do Japão no Rio de Janeiro e a Fundação Japão, em parceria com o MHN e apoio da Sanrio do Brasil. Nela estão presentes diversos personagens populares no Brasil como Ultraman, Astro Boy, Hello Kitty e, é claro, Pikachu, o astro do seriado Pokemon. Também fazem parte da mostra caracteres e mascotes mais próximos do público japonês, mas que nem por isto deixam de ser muito interessantes.



Os personagens são apresentados em forma de painéis, vídeos e bonecos, evidenciando a influência que exerceram na sociedade japonesa e, ao mesmo tempo, apresentando seu mundo de modo abrangente. Num dos módulos há uma réplica de um típico quarto de adolescente japonesa, totalmente decorado com itens da Hello Kit. 


Muita cor e descontração esperam pelas crianças de todas as idades.

E não deixe de levar as sua câmera fotográfica, pois o público pode interagir com os caracteres expostos.

A exposição está aberta ao público até 12 de janeiro de 2014. Depois disto, segue para o Panamá!

Museu Histórico Nacional 

Endereço: Praça Marechal Âncora, s/nº - Rio de Janeiro - RJ
Telefone: 21-25509220
website: http://www.museuhistoriconacional.com.br 
Funcionamento: de 3º a 6º feira, das 10h às 17h30 e aos sábados, domingos e feriados (exceto Natal, Ano Novo, Carnaval e dias de eleições), das 14h às 18h. Não abrenas segundas feiras, mesmo que seja feriado.
Ingresso: R$ 8,00 (oito reais) - aos domingos, a entrada é franca.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

As Portas da Candelária - Rio de Janeiro - RJ


Conta a lenda que a Igreja da Candelária teve origem no século XVII, quando o casal espanhol Antônio Martins Palma e Leonor Gonçalves, ao se verem em perigo de naufragar, apelaram a Nossa Senhora da Candelária. Passado o apuro, aportaram no Rio de Janeiro e, em cumprimento da promessa, mandaram erguer uma ermida no local.

Com o passar do tempo a pequena ermida cresceu em tamanho e importância, vindo a tornar-se a primeira paróquia da cidade e, por ocasião da conclusão de sua cúpula atual, a construção mais alta da região. Sem sombra de dúvida é uma das principais obras artísticas do século XIX no Brasil, graças a contribuição de grandes artistas que deixaram sua marca, como João Zeferino da Costa, pintor e professor da Academia Imperial de Belas Artes. Zeferino foi responsável pelas pinturas murais no interior da Igreja, tendo contado com a ajuda de um time de bons pintores como Henrique Bernardelli, Oscar Pereira da Silva e o italiano Giambattista Castagneto, entre outros.


Uma das portas de bronze




Igreja da Candelária




Dentre todas as belas obras que ornamentam a Igreja da Candelária, sempre me chamou a atenção as portas de bronze  monumentais que estão logo na sua entrada. Estas portas são de autoria do escultor português Antonio Teixeira Lopes e foram instaladas em 1901.


A riqueza de detalhes é impressionante.

Detalhe da parte superior da porta principal.




Antonio Teixeira Lopes vem de uma família de arquitetos e escultores. Era filho do escultor José Joaquim Teixeira Lopes e de Raquel Pereira Meireles Teixeira Lopes e irmão do arquitecto José Teixeira Lopes, seu colaborador em muitos trabalhos. Em 1900 participou na Exposição Universal de Paris, tendo obtido um Grand Prix pela obra das portas da Candelária e a condecoração de Cavaleiro da Legião de Honra. Esse sucesso consolidou sua posição e, em 1901, assumiu o lugar de professor de escultura da Academia Portuense de Belas-Artes, que manteve até 1936. Aqui no Brasil, é responsável ainda pelo monumento funerário de Bento Gonçalves, na praça Tamandaré, na cidade gaúcha de Rio Grande.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Castelinho do Flamengo - Rio de Janeiro - RJ

Mesmo para quem já conhece o Flamengo, é praticamente impossível passar em frente ao famoso Castelinho e ficar indiferente. Encravada entre edifícios, esta construção sui-generis sob vários aspectos, conseguiu sobreviver a sanha imobiliária até ser tombada em 1983. Hoje abriga o Centro Cultural Oduvaldo Vianna Filho e o Centro Carioca de Referência do Humor Gráfico.

O projeto arquitetônico foi concebido pelo italiano Gino Copede em 1916 e a construção ficou a cargo do engenheiro Fransciso dos Santos, tendo sido finalizada em 1918. A edificação foi concebida para se tornar a residência do Comendador Joaquim da Silva Cardoso e de sua esposa Carolina, na época proprietário da Construtora Silva Cardoso, fundada em 1888.


Nem a expansão imobiliária conseguiu vencer o Castelinho.

Torreão do Castelinho, com a Baia de Guanabara ao fundo.
Pode-se dizer que o Castelinho é eclético, pois mescla elementos de diversos estilos e épocas diferentes, tais como o art-nouveau, o barroco, o renascentista e o neo-gótico francês. Apresenta acabamento em cantaria, estuque, barrado de azulejaria, telhado de ardósia e rica serralheria. Há também uma profusão de formas geométricas que dão um aspecto de dinamismo ao ambiente.



O segundo andar é considerado a ala nobre da residência.

Decoração do teto do segundo andar.
Detalhe da decoração retratada acima, com rosto de criança com expressão curiosa.

Infelizmente o casarão passou por um longo período de abandono e depredação, inclusive com invasões de sem teto que acabaram por prejudicar aspectos importantes da decoração. Num destes incidentes, um princípio de incêndio quase pôs fim a tudo, sendo que as marcas das chamas ainda podem ser vistas na escadaria de madeira que leva ao segundo andar. Em 1989 deu-se início ao processo de restauração do prédio, que durou até 1992.


Reza a lenda que o Castelinho é assombrado por Maria de Lourdes, antiga moradora. 
É claro que uma casa como esta, tão única e tão antiga, possui suas histórias. Uma delas diz que na década de 30 os donos do imóvel morreram atropelados e a filha do casal, Maria de Lourdes, passou a ser criada por um tutor. Dotado de má índole, este tutor não apenas roubou seus bens, mas também prendeu-a na torre e a maltratou. Na década de 70, o Castelinho foi invadido por moradores de rua e muitos fugiram do local alegando que sentiam alguém tocando neles durante a madrugada, enquanto dormiam. Alguns chegaram a presenciar aparições de uma mulher, supostamente Maria de Lourdes, que teria voltado para retomar o que era seu.

Centro Cultural Oduvaldo Viana Filho / Castelinho do Flamengo

Endereço: Praia do Flamengo, 158, Rio de Janeiro / RJ
Telefone: (21) 2205-0655.
Funcionamento: De 3ª feira a domingo, das 10h às 20h
Ingresso: Entrada franca

Fontes:

O Castelo do Flamengo – Centro Oduvaldo Vianna Filho. OLIVEIRA, Véra. Disponível em http://www.veraoliveira.com.br/blog/o-castelo-do-flamengo-centro-oduvaldo-viana-filho/. Acessado em 26 dez. 2013.

Rio mal-assombrado. PESSOA, Daniela. Veja Rio, 13 jul. 2012. Disponível em http://vejario.abril.com.br/especial/lugares-mal-assombrados-645063.shtml. Acessado em 26 dez. 2013.

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Especial Véspera de Natal

E na véspera do Dia Mais Alegre do ano encerramos a série sobre o Natal e suas representações com esta imagem tocante, que sintetiza o verdadeiro sentido desta data.



O nascimento do Menino Deus não poderia ser melhor encenado que aos pés da Cruz, onde Ele deu sua própria vida para a redenção dos pecados da humanidade. A origem humilde, tão bem representada na singeleza do presépio, é uma mensagem para nós Daquele que podendo tudo se fez o menor dentre todos.

A equipe do GSMA deseja a todos um Feliz Natal, na esperança que continuemos a gastar sola em busca de paz, harmonia e fraternidade!

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Mozart na Candelária - Rio de Janeiro - RJ

Quando Mozart veio ao mundo a Igreja da Candelária era apenas uma pequena ermida, construída como retribuição a uma graça alcançada. Passados trezentos anos, neste último domingo, a grandeza da obra de Mozart fez vibrar as paredes desta que se tornou um dos mais belos templos da cidade do Rio de Janeiro.

Seguindo sua série de Concertos Especiais a Orquestra Sinfônica Brasileira - OSB, com a participação especial do Coro de Crianças da OSB, apresentou uma seleção de clássicos populares e canções natalinas que cativou pela performance dos músicos e pela singeleza das vozes infantis.



Os músicos posicionaram-se em frente ao altar-mor, sob a proteção dos anjos.

Maestro Osvaldo Colarusso, regendo a OSB.

Coro de Crianças da OSB trouxe cor e alegria à Candelária. 

Uma chuva de pétalas fechou a apresentação.

domingo, 22 de dezembro de 2013

Lá vem o Sol - Especial de Verão

Com a chegada do verão o Guarda-Sol é um acessório que não pode faltar, certo?

Por isso selecionamos algumas imagens deste adereço típico do verão, as quais foram coletadas enquanto gastávamos sola mundo afora atrás das novidades postadas no blog.



Criatividade é tudo. O vendedor colocou seu cartaz no local certo!
Quem não quer sombra e uma gelada pra curtir na beira da praia? Esta veio de Ilha Grande e foi tirada em agosto de 2013.

A boa é ficar à sombra num dia de sol.

Aterro do Flamengo, setembro de 2012. Todos queremos saber o que fazia este guarda-sol cravado nas pedras, sem ninguém pra aproveitar.


Abrigo improvisado



Nem sempre guarda-sol é sinônimo de lazer.
Na foto ao lado um sem teto improvisa um abrigo utilizando uma lona e alguns guarda-sóis. Tirada na Marina da Glória.

Greve de Fome








Após a série de protestos que sacudiram o Rio de Janeiro no segundo semestre de 2013, este ativista resolveu acampar na Cinelândia e fazer greve de fome.
De serviço.
Este flamante guarda-sol foi flagrado na Av. Rio Branco protegendo o telefone do ponto de táxi do sol e da chuva.


sábado, 21 de dezembro de 2013

Especial - Primeiro Dia do Verão

O Verão começa oficialmente hoje às 15h11 e com ele tem início a estação mais propícia do ano para gastar muita sola fazendo trilha, curtindo praia e tudo mais que sua imaginação mandar.



Para os cariocas, a previsão é de muito calor, por isso protetor solar e garrafinha d'água são itens obrigatórios em qualquer ocasião.

E para aqueles que pretendem passar as festas de final de ano no Rio de Janeiro capa de chuva é um item adicional,  pois a possibilidade de chuva neste período é extremamente alta.


sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Theatro Municipal por dentro - Rio de Janeiro - RJ

Continuando a matéria sobre o Theatro Municipal do Rio (para ver a primeira parte clique aqui), desta vez fomos gastar sola em meio ao luxo e requinte dos salões do famoso teatro carioca.

O ambiente foi projetado para expressar suntuosidade, seja através das amplas escadarias e dos espaços abertos, seja pelo uso ostensivo de mármores das mais variadas procedências, ônix, espelhos e bronze.


Todo o interior é revestido em mármore.

A presença de diversas obras de arte que aludem à cultura greco-romana serve para imprimir um tom marcante de neoclassicismo ao lugar.


Estátua A Dança, de Verlet, de Paris.





Estátua A Poesia, de Verlet, de Paris.
Estas duas estátuas de bronze localizam-se no foyer do teatro e são obra do escultor francês Raoul Verlet, membro da Academia Francesa de Belas Artes. 

Estátua A Verdade, de Jean Antoine Injalbert, de Paris.
A escultura A Verdade é obra do francês Jean Antoine Injalbert, professor da Academia Francesa de Belas Artes. Esculpida em mármore de carrara, faz alusão ao Renascimento, remetendo ao ideal grego de beleza.
Luxo, requinte e opulência são as marcas do interior do Theatro Municipal.

Vitrais do Balcão Nobre, obra de Feuerstein e Fugel de Sturgart, representando as musas que protegem as artes.

Os vitrais que decoram as fachadas e a clarabóia do vestíbulo de entrada do teatro são de autoria dos mestres Feuerstein e Fugel, de Stuttgart, Alemanha, e fabricados pela Mayer e Co., de Munique. São ao todo 17 vitrais distribuídos nas fachadas das áreas nobres do teatro. Por ocasião das obras de restauro foi constatado que seu estado de conservação inspirava cuidado, devido na estrutura de fixação dos panos de vidro e ao desprendimento do rejuntamento de massa de vidraceiro. Algumas peças tiveram que ser refeitas devido a atos de vandalismo.



Espaço Assyrio.

O Espaço Assyrio tem este nome devido a sua decoração, que remete à civilização babilônica. O local é revestido em cerâmica esmaltada, reproduzindo elementos decorativos das culturas persa, babilônica e assyria. Embora tenham função estrutural, as colunas também foram incorporadas ao ambiente e decoradas com cabeças de touro. 

Veja a primeira parte deste posto em  Theatro Municipal - Rio de Janeiro - RJ.

Endereço:

Praça Floriano, S/N - Cinelândia - Centro, Rio de Janeiro - RJ

Fontes:


BNDES aprova apoio de R$ 11,2 milhões para a recuperação do Theatro Municipal. 14 jul. 2009. <Disponível em http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Sala_de_Imprensa/Noticias/2009/Cultura/20090714_Theatro_Municipal.html> Acessado em 19 dez. 2013.

Visita Virtual ao Theatro Municipal. <Disponível em http://www.theatromunicipal.rj.gov.br/tmrj_pt/visita_virtual_pt.html> Acessado em 19 dez. 2013.

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Theatro Municipal - Rio de Janeiro - RJ


A história do Theatro Municipal começa em 1894, quando Arthur Azevedo lançou uma campanha para a construção de um teatro a altura da Capital da República. Entretanto, a idéia não saiu do papel e só veio a ser retomada em 1903 pelo então prefeito Pereira Passos que lançou o edital de um concurso para a apresentação de projetos para a construção do novo teatro.

Foram apresentados sete projetos, sendo que houve empate de dois no primeiro lugar: o "Áquila", pseudônimo do engenheiro Francisco de Oliveira Passos, e o "Isadora", pseudônimo do arquiteto francês Albert Guilbert, vice-presidente da Associação dos Arquitetos Franceses.

Este resultado motivou uma longa polêmica em torno da verdadeira autoria do projeto "Áquila" e sobre um possível favorecimento de Oliveira Passos - filho do prefeito. Para contornar o problema foi decidido que os dois projetos seriam fundidos num único, tendo em vista que ambos correspondiam a uma mesma tipologia.

O prédio começou a ser erguido a 2 de janeiro de 1905, com a colocação da primeira das 1.180 estacas de madeira de lei sobre as quais se assenta o edifício. A decoração ficou a cargo dos mais importantes pintores e escultores da época, como Eliseu Visconti, Rodolfo Amoedo e os irmãos Bernardelli. Também foram recrutados artesãos europeus para fazer vitrais e mosaicos.

No dia 14 de julho de 1909 o presidente Nilo Peçanha inaugurava o Theatro Municipal do Rio de Janeiro, que tinha capacidade para 1.739 espectadores. Após algumas reformas a lotação foi ampliada para 2.361 lugares.


Theatro Municipal do Rio de Janeiro

Homenagem ao Maestro e Compositor Carlos Gomes
A estátua de Carlos Gomes ficava na Cinelândia, em frente ao Theatro Municipal, tendo sido levado para sua posição atual muito recentemente. Aliás, ela foi colocada na década de 60 em homenagem ao maestro e compositor brasileiro, destronando para isto uma estátua de Chopin. Para saber um pouco mais sobre esta história curiosa, veja o post O Rio que vemos , mas não enxergamos.

Luminárias.

Detalhe da decoração externa.

Florão com as iniciais TM.
Em 2008 teve início a obra de restauração e modernização para o centenário do Theatro, o que manteve a casa fechada até 27 de maio de 2010. O prédio foi totalmente reformado e revitalizado, sendo esta a maior obra de restauração e modernização feita até o momento. Durante as obras foram realizadas algumas descobertas curiosas, como um engenhoso sistema de refrigeração que incluia um depósito para barras de gelo e tubulações que conduziam o ar resfriado até a platéia. Também foi localizada a decoração original da frisa do palco, mantida pelo artista que realizou a nova sobre uma armação que manteve a anterior oculta.

Continua em Theatro Municipal por dentro - Rio de Janeiro - RJ.

Endereço:

Praça Floriano, S/N - Cinelândia - Centro, Rio de Janeiro - RJ

Fonte: 


Theatro Municipal do Rio de Janeiro. http://www.theatromunicipal.rj.gov.br/historia.html


Municipal Theater of Rio de Janeiro


The history of the Municipal Theater begins in 1894, when Arthur Azevedo launched a campaign to build a theater the height of the Capital of the Republic. However, the idea never came to pass and only came to be resumed in 1903 by the then Mayor Pereira Passos who launched the notice of a call for the submission of projects for the construction of the new theater.

Seven projects were presented , and there was a tie in the first two : the "Aquila" , nickname of the engineer Francisco de Oliveira Passos , and "Isadora" , the pseudonym of the French architect Albert Guilbert , vice - president of the French Association of Architects.

This result led to a long controversy surrounding the true authorship of  "Aquila" project and about possible favoritism of Oliveira Passos - son of the mayor. To circumvent the problem it was decided that the two projects would be merged into one, considering that both correspond to the same typology .

The building began to be built to January 2, 1905, with the placement of the first of 1,180 stakes of hardwood on which the building sits. The decor was in charge of the most important painters and sculptors of the time as Eliseu Visconti, Rodolfo Bernardelli Amoedo and Bernardelli brothers. European artisans were also recruited to do stained glass and mosaics.

On July 14, 1909 President Nilo Peçanha inaugurated the Municipal Theater of Rio de Janeiro, which had a capacity of 1,739 spectators. After some renovations the capacity was expanded to 2,361 locations.

In 2008 began the work of restoration and modernization for the centenary of the Theater, which kept the house closed until May 27, 2010. The building was completely renovated and revitalized, this is the greatest work of restoration and modernization made ​​so far. During construction happened some curious discoveries, as an ingenious cooling system which included a deposit for ice bars and pipes that lead the cold air to the audience. Was also located the original decor of the stage , maintained by the artist who made ​​the new over a frame that kept the previous hidden .