sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Que delícia de feira - Rio de Janeiro - RJ

E para completar a série sobre a Feira de São Cristóvão, aqui vai um post sobre um de seus aspectos mais importantes: o de ser a fornecedora dos produtos típicos da nordestinidade.

Na feira os aficcionados da cozinha nordestina encontram todos os ingredientes necessários para deixar seus pratos com aquele sabor nativo da terra natal. Tem desde a conhecidíssima goma para tapioca até produtos não tão conhecidos assim, inclusive por quem é daquelas bandas!

Bancas oferecem uma incrível variedade de produtos típicos.
 As bancas oferecem artigos in natura, semi-acabados ou totalmente prontos, como é o caso das rapaduras, pés-de-moleque, goiabadas e outros doces.

Pirulitos e bom-bons enchem os olhos da criançada.

Biscoitos, tapiocas, castanhas e mel esperam pelos consumidores.

Dentre a grande variedade de produtos disponíveis, chamou-me a atenção um item em particular, os passarinhos secos. Gastando sola por diversas regiões do Brasil, já estava acostumado a ver carne secando ao sol, normalmente dependurada em ganchos nas soleiras e janelas das casas por onde passava. Mas passarinho foi a primeira vez. De início pensei que o desconhecimento se desse pelo fato de ser do Sul e não ter tido a oportunidade de ser apresentado a esta iguaria até o momento. Entretanto, a conversa com o moço da banca chamou a atenção de vários passantes - nordestinos! - que também se disseram surpresos com a novidade.
Passarinho seco - uma iguaria nordestina.

E não só de comida vive o comércio da feira. Há também uma grande oferta de xaropes, unguentos e outras mezinhas a base de fitoterápicos de grande aceitação popular. Por aqui todos conhecem os poderes curativos das garrafadas vendidas sob títulos bastante sujestivos e que prometem acabar com todas as mazelas que afligem os pobres mortais. Tem garrafada para artrose, reumatismo, próstata, coração e até, é claro, para impotência masculina.



A Feira de São Cristóvão é tudo o que foi mostrado aqui, mas é também muito mais e sempre vale a pena visitá-la. Sempre a mesma e sempre diferente, como o nosso querido Nordeste.


Para saber mais sobre a Feira de São Cristóvão, clique aqui.