quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Candombe - Montevidéo - Uruguai

Antes de chegar a Punta Ballena para conhecer a Casapueblo de Vilaró (clique aqui para saber mais), gastei alguma sola perambulando pelas ruas de Montevidéu, capital do Uruguai. Foi nesta ocasião que conheci o Candombe, uma manifestação cultural típica da região e cujas raízes africanas deixam bem claro suas ligações com o Candomblé brasileiro. Entretanto, é bom esclarecer que o Candombe, pelo menos na atualidade, não possui conotação religiosa.

De forma similar ao que ocorreu com a colônia portuguesa, as colônias espanholas também receberam um significativo contingente de escravos africanos. No Uruguai o processo teve início por volta de 1750 e se intensificou de tal maneira que no ínio do século XIX mais de 50% da população de Montevidéu era constituída por afro-descendentes.

Assim que chegavam, os escravizados eram submetidos a um processo de aniquilamento cultural para que esquecessem suas origens. Desprovidos de tudo, restava-lhes apenas a música, como uma recompensa pelas pesadas tarefas executadas durante o dia e um refúgio contra a nostalgia da terra natal. Da mistura de etnias africanas reunidas nestes encontros musicais nasceu o Candombe no século XVIII. O termo inicialmente designava as danças praticadas pelos negros, posteriormente passou a significar o ritmo musical baseado sobretudo nos tambores. Estas reuniões a céu aberto foram duramente reprimidas durante muito tempo e o Candombe passou a ser executado em lugares fechados, muitas vezes em segredo. Atualmente, é considerado uma representação fundamental da cultura uruguaia e foi reconhecido pela UNESCO como Patrimônio Cultural da Humanidade.

Mama Vieja com seu leque, personagem típica do Candombe.


O Candombe moderno é executado por três tipos distintos de tambores (chamados genericamente de tangó ou tambó):
  • tambor piano: é o maior e sua função é dar o som de fundo, como um bumbo;
  • tambor chico: é o menor, seu som agudo dita o ritmo;
  • tambor repique: de tamanho intermediário, serve para dar o tom nas improvisações feitas pelos músicos.
 Um conjunto de tangós é chamado de cuerda. Durante o carnaval uruguaio, formam-se blocos chamados de comparsas, que saem às ruas acompanhados por multidões de dançarinos e populares. O cortejo é conduzido pelo Escobero, em geral um jovem que tem a função de arauto; o mestre dos tambores é conhecido como gramillero, sempre acompanhado de sua mama vieja - uma mulher vestida de trajes coloridos e com um leque à mão.

Fonte

O que é Candombe. CANDOMBE. Disponível em http://www.candombe.com/portuguese.html. Acessado em 27 fev. 2014.