quarta-feira, 19 de março de 2014

Igreja São José - Rio de Janeiro - RJ

No dia 19 de março celebra-se o dia de São José, um dos santos mais populares no mundo inteiro e que, no Brasil, empresta seu nome a um número tão grande de pessoas que acabou por se incorporar ao idioma como forma genérica de chamar alguém.

José foi carpinteiro e esposo de Maria, a mãe de Jesus. Embora de ascendência nobre (pertencia a linhagem do Rei Davi) levou uma vida humilde, dedicada ao trabalho, a esposa e ao seu filho, sendo por isso considerado Padroeiro dos Trabalhadores e da Família. É venerado como santo pelas Igrejas Ortodoxa, Anglicana e Católica, que o celebram como seu padroeiro universal.

Aqui no Rio, em pleno centro da cidade, encontra-se uma bela igreja dedicada a ele e que leva seu nome: a Igreja São José.

São José e o Menino Jesus, no altar-mor.

Infelizmente sabe-se pouco da história desta igreja, pois em 1711 ela foi saqueada pelo corsário francês René Duguay-Trouin durante a tomada da cidade do Rio de Janeiro e toda a sua documentação perdeu-se ou foi destruída. É considerada uma das igrejas mais antigas do Rio e sua origem remonta a 1608, quando foi construída uma capela rústica no local para uso dos devotos de São José.

Sagrada Família.

Em 1808 foi iniciada a construção de uma nova igreja numa iniciativa da Irmandade do Santíssimo Sacramento da Freguesia do São José, tendo sido concluída somente em 1824. A igreja passou a ter sua aparência atual após uma reforma realizada em 1883, que alterou sua fachada e acrescentou um potente conjunto de sinos. Aliás, os sinos da Igreja São José são famosos por sua sonoridade.

Sua localização é privilegiada, pois tem a seu lado o Palácio Tiradentes, está próxima ao Palácio Imperial e incluída no circuíto das tradicionais igrejas do centro que incluem a Antiga Sé, Nossa Senhora do Monte Carmo e Santa Cruz dos Militares.

Por sua arquitetura, seu significado religioso, localização e beleza do campanário é a igreja preferida para casamentos em grande estilo.

E uma curiosidade: contrariando o costume português, sua fachada não está voltada para o mar e sim para a Av. Presidente Antônio Carlos, uma das mais movimentadas da cidade. Provavelmente a orientação original fosse outra, pois no século XVII a capela estava junto à praia. O novo posicionamento deve ser decorrente  do aterro que substituiu a praia pelo terreno que deu lugar à Praça XV e seus entornos, ao crescimento urbano e a abertura da avenida.

Fonte:

CENTRO Rua Primeiro de Março suas igrejas I. Disponível em http://www.marcillio.com/rio/encepmig.html#jos. Acessado em 19 mar. 2014.