sexta-feira, 28 de março de 2014

Palácio do Catete - Rio de Janeiro - RJ


Em agosto deste ano o suicídio mais famoso da história brasileira completará 60 anos: a morte de Getúlio Vargas. O homem que chegou ao poder pela força das armas, foi deposto e voltou nos braços do povo era polêmico, ardiloso e um hábil estrategista. Tanto assim que completou a incrível marca de 15 anos à frente da nação, sento reverenciado até hoje como o Pai dos Pobres. Sem sombra de dúvidas Getúlio é uma das figuras mais controversas da política brasileira nos últimos tempos.

Getúlio, o filme


Retratar os últimos 19 dias que antecederam sua morte é um desafio que o diretor João Jardim decidiu enfrentar ao lado de um elenco de peso. Não por acaso, no próximo primeiro de maio, Dia do Trabalhador, estréia Getúlio com Tony Ramos no papel que dá nome ao filme. A história inicia com o episódio conhecido como o Atentado da Rua Toneleros, quando Carlos Lacerda sofre uma emboscada da qual sai ferido e um major da aeronáutica que o escoltava é morto. A partir dai o enredo envereda pelos eventos que desestabilizaram o governo Vargas a ponto de torná-lo inviável e ao desfecho que todos conhecemos.

Boa parte das filmagens utilizaram como locação o Palácio do Catete, que na época era a sede do poder executivo brasileiro. Imerso na trama que se desenrola na tela o espectador pode não se dar conta, mas o clima sombrio do palácio colabora para adensar o drama vivido pelos protagonistas.

Detalhe de um dos chafarizes do jardim do palácio.

Com a morte de Getúlio seus sucessores passaram a evitar o local por considerá-lo de mau agouro e a mudança da capital para Brasília acabou por selar o destino do prédio. Atualmente sedia o Museu da República e seus jardins estão abertos a visitação pública, sendo muito utilizados como palco de diversos eventos artísticos e culturais.


Elementos decorativos incluem os símbolos da república.

Museu da República


Por seu valor histórico e arquitetônico, o Museu da República tornou-se ponto turístico obrigatório e suas exposições permanentes incluem mobiliário de época, obras de arte e peças representativas dos diferentes períodos da república brasileira. Na parte superior, o famoso quarto no qual Getúlio Vargas deixou a vida para entrar para a história é mantido inalterado.

Pijama exibe furo da bala que matou Getúlio Vargas.

 

Jardins do Palácio são uma atração à parte


Diversas atrações residem entre as alamedas protegidas por árvores centenárias, incluindo-se ai parquinho infantil, monumentos, estatuária que remete ao período clássico e à mitologia greco-romana, coreto, um majestoso chafariz e a antiga garagem presidencial. Bancos estrategicamente colocados nos recantos mais aprazíveis estão a disposição daqueles que vem para uma boa leitura, namorar ou simplesmente aproveitar o ambiente. Aos domingos, servem de palco para a Turma da Melhor Idade que se reúne para tocar, cantar e dançar sucessos de todos os tempos.

Jardins do palácio estão abertos a visitação gratuitamente.

Num prédio anexo, com entrada pelo jardim, o Museu do Folclore mantém uma simpática lojinha com artigos oriundos dos rincões mais distantes (leve dinheiro, pois não trabalham com cartões). No momento a sede do Museu passa por reformas e a exposição permanente encontra-se fechada e sem previsão de data para reabrir. Permanecem abertas, além do ponto de comercialização, a Galeria Mestre Vitalino, a Biblioteca e a Sala do Artista Popular. Nesta Sala são realizadas exposições temporárias onde artesãos selecionados expõem e comercializam seus trabalhos.

Ou seja, o que não falta são motivos para visitar o Palácio do Catete. Quem não conhece, precisa conhecer. E quem já conhece, sempre quer voltar.

Palácio do Catete / Museu da República


Endereço: Rua do Catete, 153 – Catete, Rio de Janeiro, RJ
Horário de funcionamento: Terça feira, das 12:00h às 17:00h; Quarta feira, das 14:00 às 17:00h; Quinta e sexta feira, das 12:00h às 17:00h; Sábado e domingo, das 14:00h às 18:00h.
Entrada: a visitação ao jardim é gratuita. Museu da República R$ 6,00. Maiores de 65 anos e estudantes pagam R$ 3,00. Menores de 10 anos não pagam. Aos domingos a entrada é franca.