quinta-feira, 15 de maio de 2014

O Brasil que o estrangeiro vê

Que o Brasil tem lá seus problemas todo mundo sabe, não é mesmo? Mas a verdade é que por vezes tendemos a exagerar na autocrítica e acabamos por focar nos defeitos, esquecendo tanta coisa boa que temos em volta.

Por isso o GSMA convidou algumas pessoas de fora do Brasil - e que passaram algum tempo por aqui - para dar sua opinião sincera sobre o que acharam da experiência. A proposta é publicar os textos na íntegra, sejam eles favoráveis ou não a nossa autoestima.

Se você é estrangeiro e gostaria de dar sua contribuição neste projeto, entre em contato conosco pelo e-mail abaretiba@gmail.com.

6 meses de Brasil, por Júlia Walsche


Júlia  foi a primeira a atender este convite. Ela é dinamarquesa, veio para um intercâmbio em 2013 e aproveitou a oportunidade para percorrer várias regiões do país, conhecendo diferentes lugares, pessoas e culturas. Seu relato está repleto de experiências que revelam a distância entre a expectativa da viagem e a realidade encontrada. E um detalhe interessante, ela escreve muito bem em português!

Júlia percorreu o Brasil de norte a sul e tem a muito a contar sobre esta experiência.
Segue o relato de Júlia:

Eu fui ao Brasil para um intercâmbio universitário de 6 meses na USP em São Paulo. Eu aluguei um quarto numa casa de família num bairro muito legal que se chama Vila Madalena. A família me trato super bem e me fizeram sentir parte deles. Eu fui convidada em todas as festas familiales, eu tomei o café e o jantar todo dia com eles. Foi muito bom conhecer a cultura brasileira daquele jeito.

Como eu queria conhecer o pais inteiro eu viajei bastante. Aqui esta uma lista dos lugares onde eu fui nesses 5 meses e como eu fui tratada pelos brasileiros:
- Parati e a Praia de Trindade com a minha família brasileira. A gente ficou numa pousada muito legal. Tiradentes com a minha família também. A gente ficou numa pousada com um dono muito engraçado e meio maluco.

- Rio [de Janeiro]: eu fui lá com o meu namorado e a gente ficou num hostal muito internacional. Tinha bastante turistas mas deu tudo certo. A gente chegou no Rio muito assustados porque na Europa todo mundo fala mal do Rio, que é uma cidade muito perigosa etc.. mas não foi nada assim, os cariocas são gente boa.

- Ilha Grande: eu fui lá com uma amiga croata e a gente ficou numa pousada pequena. Foi incrível, a gente fez muita caminhada. As pessoas do povoado falaram que a gente precisava de guias e que é muito perigoso andar sozinhas. Mas isso foi só para a gente gastar dinheiro. Fomos sozinhas e deu tudo certo!

- Belo Horizonte e Ouro Preto: eu tinha comprado uma passagem de avião para visitar um amigo, mas ele teve que cancelar. Então eu fui sozinha e fiquei na casa dos pais de um amigo de um amigo meu. Então eu não conhecia eles. Foi uma grande surpresa, eles foram demais. Me trataram como a filha deles, me levaram em todos os lugares para conhecer, fomos ao Ihotim e a cidade de Ouro Preto. Eles me ofereceram uma hospitalidade incrível.

 - Foz do Iguaçu ( lado brasileiro e argentino): ai fui com um grupo de intercambistas. Eu achei tudo muito caro e turistico. As pessoas só queriam ganhar dinheiro com a gente.

- Belém e Manaus: acho que esta foi a viagem mais legal que eu fiz no Brasil. Eu estava com o meu namorado e a gente foi primeiro a Belém e de lá até a Ilha de Marajó. No hotel em Belém a gente teve um problema porque a reserva não estava e a gente não tinha onde ficar. Mas depois o pessoal do hotel nos ajudou a encontrar um quarto. De lá a gente foi a Ilha de Marajó e ficamos numa pousado muito legal. Em Manaus a gente dormiu 5 dias no meio da floresta na casa de Nilson, um índio. Foi uma experiência muito linda: ele sabia muitas coisas e nos ensinou de um jeito muito local e diferente. A gente adorou ficar lá. Pescamos bastante e jantamos com ele.

- Campinas: a minha melhor amiga brasileira mora em campinas. Eu passei o Natal com a família dela. Também eles me trataram como a filha deles. Eu me senti muito integrada. Na noite de Natal, eu cozinhei comida da Bélgica para eles. A gente teve um intercâmbio cultural muito legal.

- Brasília e o interior de minas: eu visitei a família de Thiago, um brasileiro que tinha vivido na minha casa em Bélgica um ano. Eles me trataram como a filha deles, visitamos bastante.

[Também estive na ] Bahia (Salvador, Praia do Forte, Praia do Gunga), Maceió e Chapada Diamantina: eu viajei com 5 outros intercambistas. A gente ficou em pousadas muito legais. Os baihanos são gente boa e não aconteceu nada não. O tempo que eu passei no Brasil foi demais, eu fiz amizades únicas e conheci lugares incríveis. Eu voltarei com certeza!