sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Morro do Pinto - Rio de Janeiro - RJ

O avanço das obras de revitalização da área portuária do Rio de Janeiro trouxe à luz preciosidades do passado, como o Cais do Valongo, e chamou a atenção para uma parte da cidade que preserva resquícios de um modo de vida quase provinciano.

É o caso do Morro do Pinto, onde as ruas sinuosas são ladeadas de sobrados, muitos com cicatrizes do tempo estampadas nas paredes, aonde vivem vizinhos que se conhecem pelo nome e sentam nas calçadas para ver a vida passar. Localizado no Bairro do Santo Cristo, este morro de aclive suave oferece diversos mirantes que descortinam paisagens comuns da cidade, mas vistas por um ponto de vista completamente diferente.

Casario típico da região

A ocupação urbana da região teve início em 1875, nos terrenos que pertenceram ao Barão de Mauá, com um loteamento realizado por Antônio Pinto (daí o nome do morro). Inicialmente foram abertas seis ruas e quatro travessas e, posteriormente, novos loteamentos foram atraindo novos moradores e ampliando a população do bairro. A iniciativa de Antônio Pinto é considerada pioneira no Rio de Janeiro por se tratar do primeiro empreendimento criado especificamente para fins habitacionais. Além disso, marca o início da expansão da área urbana, até então confinada ao perímetro central e adjacências.

Turismo no Morro do Pinto


Atentos as mudanças que vem sendo feitas na Zona Portuária e sabedores dos atrativos que a história, posição geográfica e cultura local oferecem, a equipe da Expedição Cultura Turismo criou o projeto Mirantes do Porto, o qual é constituído por circuítos que incluem áreas de interesse histórico e turístico. Faz parte deste projeto o Circuíto Santo Cristo, que inclui uma caminhada no Morro do Pinto.

No último dia 31 de agosto ocorreu a primeira edição do Circuíto Santo Cristo e nossa equipe foi conferir de perto esta nova opção de roteiro paisagístico-cultural.

A caminhada tem duração prevista de quatro horas e foi planejada de modo a subir pela encosta mais suave do morro com diversas paradas em mirantes que oferecem uma visão privilegiada da cidade.

O ponto de encontro foi na Rodoviária Novo Rio, local de fácil acesso e localização. Após uma pequena explanação sobre a história do bairro, o grupo seguiu em direção à Rua Santo Cristo e foi subindo. O trajeto incluiu uma rápida parada nas antigas instalações da fábrica de chocolates Bhering, hoje destivadas, mas que tiveram um importante papel na vida econômica do bairro num passado não tão distante.

Ao longo do caminho há diversos pontos dos quais se pode admirar a extensa paisagem formada pela Baia da Guanabara, de um lado, e o centro da cidade, do outro.

Morro de granito cicundado por prédios.


Quinta da Boa Vista, com a Comunidade da Mangueira ao fundo.


No trajeto escolhido não há ladeiras íngremes e a caminhada pode ser feita sem muito esforço, mas como o dia estava quente a chegada ao Bar do Carlinhos foi saudada com alegria pelos participantes que se apressaram em experimentar os mata-fome disponíveis no estabelecimento. O bar é simples, quase austero, e funciona num casarão localizado na rua Monte Alverne. Embora na fachada conste o ano de 1922, ao que tudo indica sua construção é ainda mais antiga. Seu Carlos e Rosana, os proprietários, atendem a todos esbajando simpatia. No interior, alguns clientes habituais retomavam a leitura do jornal e reatavam as conversas interrompidas com a chegada ruidosa do nosso grupo.

Bar do Carlinhos.


Vale a pena citar também a visita à Igreja de Nossa Senhora do Mont' Serrat, localizada no alto do morro e visível de vários pontos da cidade. Quando chegamos a missa havia terminado e os fiéis já haviam saído, de modo que pudemos visitar e fotografar o templo a vontade. Inclusive aproveitamos a ocasião para subir na torre do sino, local que rendeu ótimas fotos!

Sino da Igreja de N. S. de Mont' Serrat.


Dando continuidade ao passeio visitamos o Parque Machado de Assis, com uma área de lazer construída sobre o Reservatório do Morro do Pinto, espaço para cursos e atividades culturais e um pequeno bosque. Vencido mais um pequeno trecho, reagrupamos na Igreja de Santo Cristo para o encerramento.

Serviço: Circuíto Santo Cristo : caminhada pelo Morro do Pinto
Operado por Expedição Cultura Turismo
Valor: R$ 20,00 por pessoa
Duração: 04 horas
Intensidade: leve

Veja o álbum completo em Abaretiba, nossa página no Facebook: Gastando Sola no Morro do Pinto.