terça-feira, 30 de setembro de 2014

Quanto custa passar um dia em Paraty?

Quem gosta de viajar sabe que um pouco de planejamento é fundamental para garantir o sucesso da empreitada, principalmente no que diz respeito aos custos. Com o passar do tempo este tipo de cuidado acaba se tornando um hábito e sendo incorporado naturalmente na fase de preparativos. Afinal, sempre que uma viagem termina já estamos preparando a próxima e é fundamental ter controle sobre os recursos disponíveis para que possamos continuar gastando sola mundo afora, não é mesmo?

Centro histórico.

Claro que preferências pessoais, estilo de vida e, principalmente, o quanto se está disposto a gastar são fatores que definem o estilo da viagem. Por isso, conhecer as opções disponíveis no destino ajuda a montar um roteiro de acordo com o perfil dos viajantes e que deixe boas lembranças, não dívidas!

Paraty para todos os bolsos


Como qualquer destino turístico, Paraty dispõe de uma ampla gama de prestadores de serviço que competem entre si em diferentes nichos de mercado. Por um lado isto favorece o turista na medida em que uma negociação bem conduzida pode levar a redução do preço cobrado. Por outro, deve-se considerar que existem custos associados a prestação do serviço que precisam ser repassados e um preço muito abaixo da média pode significar que o prestador anda economizando em itens fundamentais do negócio, como manutenção de equipamentos, por exemplo. Assim, ao optar por um prestador, é preciso ter em mente que a satisfação deverá estar diretamente relacionada ao valor cobrado. Se o critério de seleção foi unicamente  preço baixo, esteja preparado para desfrutar de menos conforto ou de um roteiro menor que o oferecido por outros prestadores.

Igreja de N. S. das Dores.

Dentro desta filosofia de análise montamos um roteiro básico para duas pessoas, seguindo alguns princípios que, temos certeza, servirão para dar uma idéia concreta do que esperar numa visita a Paraty.

  • Deslocamento: trajeto de ida e volta Rio de Janeiro x Paraty de ônibus da viação Costa Verde. A passagem de ida para uma pessoa custa R$ 63,00 e o retorno R$ 58,50;
  • Estadia: valor da diária na Pousada Mar e Vida, para casal com café da manhã incluído. Localizada a 150 m do centro histórico de Paraty e 900 m da Estação Rodoviária. Quartos simples, amplos e confortáveis, com ar-condicionado, frigobar e TV;
  • Almoço: no Restaurante Daruma é possível comer bem por R$ 20,00 o prato individual - bem servido - com arroz, feijão, salada, legumes, farofa, acompanhados por uma destas opções: contra-filé, bife a parmegiana, carré ou peixe. Fica na Rua José Balbino da Silva 25, no trajeto que leva ao Forte Defensor Perpétuo;
  • Lanche: nada como uma paradinha estratégica no meio da tarde para reabastecer as energias. Desta vez foi no Café Harmonia que, além de um bolo de aimpim que deixou saudades, serve um café coado na mesa que faz toda a diferença. Foram duas fatias generosas e três cafés por R$ 26,00. Para completar, neste dia um grupo de violeiros deu o ar da graça esquentando os instrumentos antes de sair para uma seresta no Lar dos Idosos São Vicente de Paula. Encontre o Harmonia na Rua Marechal Santos Dias, 7;
  • Janta: depois de gastar sola subindo e descendo as ruas do centro histórico nada mais justo que sair do regime com uma deliciosa pizza do Restaurante Arte e Sabor. Aqui a pizza grande, com dois sabores, saiu por R$ 39,00. O Arte e Sabor fica na Rua Dr. Samuel Costa, 13.

Resumindo, nosso dia em Paraty ficou em R$ 770,00, o que pode ser considerado uma quantia modesta se comparada com outros destinos que já visitamos.

Item Valor em R$
Passagens 243,00
Estadia 400,00
Almoço 48,00
Lanche 26,00
Janta 53,00
Total 770,00

Despesas relativas a duas pessoas.


É claro que nesta conta não estão incluídos passeios e souvenirs, itens que fazem parte de qualquer cesta básica turística. No quesito passeios as opções são muitas: as escunas levam a um tour pela enseada, incluindo ilhas e praias espetaculares. Há também os roteiros terrestres feitos de jeep, como visitas a cachoeiras, fazendas e cachaçarias. Neste caso, o melhor é fazer uma pré-seleção antes de viajar e finalizar os acertos com os prestadores no local.


Quanto aos souvenirs, há de tudo. Desde chaveiros que custam menos de R$ 10,00 a quadros que valem uma pequena fortuna. O quê levar de lembrança vai depender do gosto e da disponibilidade de cada um.

Veja estas e outras fotos no álbum Gastando Sola em Paraty em Abaretiba, nossa página no Facebook.