terça-feira, 21 de outubro de 2014

Era uma casa muito engraçada ....

Você sabia que a tal casa muito engraçada que aparece na famosíssima canção de Vinícius de Moraes existe mesmo? E que ela já foi tema de um post aqui no GSMA, sem que nos déssemos conta disto??

Parece incrível, mas é verdade. E o mais interessante é que esta constatação ocorreu totalmente ao acaso!


Casapueblo continua sendo uma casa muito engraçada!


Informação nas alturas


Uma das coisas boas de viajar com a TAM é desfrutar da leitura da revista Brasil : almanaque de cultura popular, presente nos bolsões das poltronas e sempre recheada com histórias interessantes cujo tema invariavelmente é a brasilidade.

Enquanto retornava ao Rio, depois de gastar sola em Porto Alegre fugindo da chuva, aproveitei para matar o tempo lendo o Almanaque Brasil e qual não foi minha surpresa ao encontrar um artigo contando a origem da música de Vinícius em parceria com Toquinho. De acordo com o texto, a Casa Muito Engraçada é nada mais nada menos que a Casapueblo, construída por Carlos Vilaró em Punta Ballenas, no Uruguai. Em 2007 estivemos ali e ficamos impressionados com a obra monumental do artista uruguaio (para ver o post sobre a Casapueblo clique aqui), que a partir de uma modesta casinha na encosta de um morro construiu um complexo que abriga sua residência, um hotel, um museu e galeria de arte.

Ainda de acordo com a matéria, Vinícius, que foi Embaixador do Brasil no Uruguai, era amigo de Vilaró e costumava frequentar a Casapueblo. Numa destas visitas começou a improvisar a trova infantil para entreter as filhas do artista. O resultado agradou tanto o poetinha que ele acabou por transformá-la na canção que todos conhecemos e amamos. E um detalhe: na versão original a estrofe final arrematava com os seguintes versos:

Mas era feita com pororó
Era a casa de Vilaró

Posteriormente o poema foi modificado e esta parte foi suprimida, mas o delicioso non-sense da canção infantil permaneceu inalterado.

Fonte:

A TAL DA "CASA MUITO ENGRAÇADA" EXISTE MESMO. Brasil : almanaque de cultura popular. V. 16, n. 183, out. 2014. p. 8.