segunda-feira, 7 de março de 2016

Museu do Meio Ambiente expõe obra rara de 1565 - Rio de Janeiro - RJ

O Jardim Botânico do Rio de Janeiro é amplamente conhecido como uma bela área de lazer, onde os visitantes podem desfrutar de bons momentos em contato com a natureza. Porém esta não é sua única, nem principal, finalidade. O Jardim Botânico tem como missão promover, realizar e difundir pesquisas científicas que tenham a flora como objeto de estudo, sendo reconhecido internacionalmente pela sua contribuição no mapeamento da biodiversidade brasileira.

Afinado com este propósito, o Museu do Meio Ambiente, órgão ligado diretamente à Presidência do Jardim Botânico, traz a público o livro De Materia Medica, tradução latina da obra do grego Dioscórides (40-90 dC), feita por Pietro Andrea Mattioli (1501-1577), botânico e médico renascentista. Devido a sua abrangência e qualidade técnica tornou-se referência para os que pesquisavam os benefícios medicinais das plantas, sendo consultado por muitos boticários, médicos e estudiosos da botânica.

A obra encontra-se em excelente estado de conservação
A exposição, sugestivamente chamada de A Natureza Impressa em Livro, faz referência ao aniversário da cidade ao escolher esta peça que contabiliza 450 anos de existência - mesma idade da cidade do Rio de Janeiro.

Folha de rosto da obra (reprodução de cartaz)

Além de sua importância do ponto de vista científico, este exemplar apresenta um magnífico trabalho tipográfico, bem como aproximadamente 900 gravuras aquareladas, em cores, de plantas, animais e minerais que eram utilizados para fins terapêuticos no século XVI.

Trecho exposto ao público, onde é possível constatar a qualidade tipográfica da obra

Sempre é bom lembrar que em 1565 - decorridos pouco mais de 100 anos da primeira edição da Bíblia de Gutemberg - a imprensa de tipos móveis ainda estava em seu início, o que ressalta o valor do trabalho primoroso realizado pelos tipógrafos da oficina de Vincenzo Val Grisi. Este conhecido impressor veneziano deixou para a posteridade características que são facilmente identificáveis neste exemplar, tais como o uso do itálico, tipos precisos, mancha de texto uniforme e graciosamente distribuída, bordas largas e numeração das páginas (recurso que veio a tornar-se comum bem mais tarde).

Outro detalhe que chama a atenção é a qualidade do papel. Mesmo após todo este tempo, mantém-se branco e flexível graças as técnicas de fabricação da época, quando o uso de trapos de tecidos e substâncias não agressivas resultavam numa pasta com pH neutro, impedindo assim a acidificação das folhas e sua consequente degradação.

A Natureza Impressa em Livro


Quando: de 1º de março de 2016 a meados de junho de 2016
Horário: de terça a domingo, das 9h às 17h
Local: Museu do Meio Ambiente – Jardim Botânico do Rio de Janeiro
Endereço: Rua Jardim Botânico, 1008
Entrada franca!

Fontes


MUSEU DO MEIO AMBIENTE. Natureza Impressa em Livro.  Disponível em http://museudomeioambiente.jbrj.gov.br/noticia/natureza-impressa-em-livro. Acessado em 07 mar. 2016.

O CONCIERGE. Museu do Meio Ambiente mostra ao público livro raro de 1565. Disponível em http://www.oconciergepb.com.br/trade-news/museu-do-meio-ambiente-mostra-ao-publico-livro-raro-de-1565/. Acessado em 07 mar. 2016.