sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Hidráulica Moinhos de Vento oferece sombra e água fresca - Porto Alegre - RS

Sempre gostei de caminhar e faço isso desde criança, sendo que nunca precisei utilizar transporte escolar para frequentar o colégio. Por volta de 1976 morava com a família no bairro Auxiliadora e comecei a cursar o segundo grau no Colégio Rosário, localizado em frente à Praça São Sebastião, no centro de Porto Alegre. Quem conhece a geografia da cidade sabe que entre estes dois pontos fica o Moinhos de Vento, um dos mais elegantes bairros da capital dos gaúchos, tornando-se assim passagem obrigatória de meu roteiro diário.

No ponto mais alto da rua 24 de Outubro passava pela velha hidráulica sem prestar muita atenção aos jardins e ao prédio que se destacava ao fundo. O que realmente me prendia era aquela torre misteriosa que ficava a poucos metros do portão e para a qual imaginava mil e uma finalidades, menos a qual ela realmente se destinava.

Anos depois ela foi convertida num centro cultural e tive a oportunidade de conhecer seu interior. Era interessante, mas a fantasia era bem melhor ...

Prédio é de 1928 e sua arquitetura é inspirada no Palácio de Versalhes.


A história da hidráulica remonta a 1890, quando começaram a ser construídos os tanques de captação de água da Hydráulica Guaybense, responsável pelo abastecimento de água da cidade até a década de 20 do século passado, quando foi adquirida pela empresa norte-americana Ulen & Co.

O prédio histórico - ainda em funcionamento - foi concluído em 1928 e sua arquitetura é inspirada no Palácio de Versalhes, inclusive os jardins, e apresenta traços ecléticos e positivistas. A grande área ajardinada a sua frente encontra-se sobre dois imensos reservatórios subterrâneos, atualmente desativados. Este tipo de armazenamento é utilizado para manter a temperatura da água já tratada estável, evitar sua contaminaçao e diminuir as perdas por evaporação. Hoje um é utilizado como arquivo e o outro como galeria de arte e fica aberto à visitação pública. Outra atração, que se destaca na paisagem, é a Torre da Hidráulica, na verdade uma antiga casa de filtros construída em 1910 e desativada em 1969.

A torre, construída em 1910.

O parque é um verdadeiro oásis de verde em meio ao concreto desta área densamente urbanizada. Aqui os porto-alegrenses podem tomar seu chimarrão em meio ao arboreto, que ameniza os efeitos do calor, e abriga uma grande variedade de pássaros.

Esta é uma das maiores estações do Departamento Municipal de Água e Esgotos - Dmae, órgão vinculado à Prefeitura de Porto Alegre. A Estação de Tratamento de Água Moinhos de Vento, ou ETA Moinhos, ocupa uma área total de seis hectares e é responsável pelo abastecimento de 14 bairros da cidade. Aqui são produzidos 121 mil metros cúbicos de água tratada por dia.

Desde maio de 2012 a ETA Moinhos integra o roteiro dos ônibus da Linha Turismo (para saber mais, clique aqui). Basta descer na parada do Parque Moinhos de Vento (Parcão) e caminhar pela rua 24 de Outubro cerca de 7 minutos, sentido bairro-Centro, até a entrada principal da Estação.

As Ninfas estão chegando


Ninfa que adornava o Chafariz do Imperador em 1866.

No início de outubro deste ano a Prefeitura efetuou a remoção de um conjunto de estátuas de grande valor artístico e histórico para o jardim da ETA Moinhos. Trata-se de um conjunto de quatro peças constituído por duas Ninfas e dois Netunos que representam os afluentes do Lago Guaíba, a saber: Jacuí, Sinos, Caí e Gravataí. Originalmente havia uma quinta representando o Guaíba, mas infelizmente seu paradeiro é desconhecido.

Estas estátuas são consideradas como sendo as mais antigas da cidade e foram esculpidas em mármore de Carrara, em 1866, provavelmente pelo escultor italiano José Obino. Na segunda metade do século XIX haviam apenas oito chafarizes que abasteciam a população de água potável e elas foram criadas para  adornar o Chafariz do Imperador que funcionava na Praça da Matriz, que em 1910 foi desmontado para dar lugar ao Monumento a Júlio de Castilhos. Com isso Ninfas e Netunos foram guardados em um depósito até 1936, quando foram instalados na Praça São Sebastião, em frente ao Colégio do Rosário.

Na década de 70, quando estudante do Rosário, não poucas vezes testemunhei atos de vandalismo contra as Ninfas indefesas. Reunidos em bandos, os estudantes costumavam sentar no colo das estátuas, subir em suas cabeças, praticar tiro ao alvo, pichar e gravar mensagens à posteridade naqueles corpos nus. Felizmente o local para onde elas foram transladadas é protegido e ao mesmo tempo permite que a população possa apreciar a obra. A iniciativa da Prefeitura é louvável, mas certamente tardia, pois este local existe há décadas e boa parte dos estragos que terão que ser restaurados agora poderiam ter sido evitados se esta mudança tivesse ocorrido há mais tempo. Seja como for, antes tarde do que nunca!  

Veja estas e outras fotos no álbum Hidráulica do Moinhos de Vento (clique aqui) em Abaretiba, nossa página no Facebook.

Hidráulica do Moinhos de Vento


Rua 24 de Outubro s/n - Bairro Moinhos de Vento - Porto Alegre - RS
Aberta de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h30.
Entrada franca.

Fontes

PREFEITURA DE PORTO ALEGRE. DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTOS. Hidráulica Moinhos de Vento integra roteiro do Linha Turismo. Porto Alegre, 14 maio 2012. Disponível em http://www2.portoalegre.rs.gov.br/dmae/default.php?p_noticia=151872&HIDRAULICA+MOINHOS+DE+VENTO+INTEGRA+ROTEIRO+DO+LINHA+TURISMO. Acessado em 24 out. 2014.

PREFEITURA DE PORTO ALEGRE. SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA. Estátuas que representam afluentes do Guaíba ganham novo espaço. Porto Alegre, 10 out. 2014. Disponível em http://www2.portoalegre.rs.gov.br/smc/default.php?p_noticia=173177&ESTATUAS+QUE+REPRESENTAM+AFLUENTES+DO+GUAIBA+GANHAM+NOVO+ESPACO. Acessado em 24 out. 2014.