sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Trilha da Pedra do Sino - Teresópolis - RJ

Embora já tivesse visitado o Parque Nacional da Serra dos Órgãos - PARNASO em outras ocasiões, ainda não havia tido a oportunidade de realizar uma de suas famosas trilhas. Depois de algum tempo procurando alguém disposto a curtir esta aventura encontrei a guia Viviane Malafaia, que topou a empreitada apesar do calendário não estar a nosso favor.

A Pedra do Sino é um destino muito procurado por excursionistas

Acontece que a melhor época para realizar este tipo de trilha vai de junho a agosto, período com menor incidência de chuvas, e as datas que tínhamos disponíveis eram 03/04 ou 10/11 de setembro. Acabamos escolhendo a primeira opção para aumentar nossas chances de tempo bom. E deu certo!

Teresópolis vista do mirante do Abrigo 3

Para quem não sabe, o PARNASO fica em Teresópolis, região serrana do Estado do Rio de Janeiro e é considerado um dos melhores locais do Brasil para a prática de esportes de montanha, como escalada, caminhada, rapel e outros. Possui a maior rede de trilhas do país, com mais de 200 quilômetros de extensão em todos os níveis de dificuldade: desde a trilha suspensa - acessível a cadeirantes - até a Travessia Petrópolis-Teresópolis, com 30 Km de subidas e descidas pela parte alta das montanhas.

Veja estas e outras imagens no álbum Trilha da Pedra do Sino, no Facebook, e no perfil @gastandosola no Instagram.

Sobre a trilha

É interessante lembrar que a trilha da Pedra do Sino é na verdade um dos trechos da travessia Petrópolis-Teresópolis. Para quem sai de Petrópolis, é a última parte da caminhada e tem a vantagem de ser descida até o final. Muitos trilheiros em fase de preparação costumam realizá-la como forma de treinamento, pois ela é considerada um bom termômetro para quem quer saber se tem condições de realizar todo o percurso da travessia.

Reta final para chegada no Abrigo 4

Falar sobre o nível de dificuldade de uma atividade como esta não é fácil, pois há vários elementos subjetivos que interferem na percepção do praticante, principalmente no que diz respeito a condicionamento físico e equipamento utilizado. Por isso, vamos utilizar a classificação apresentada pela guia Viviane Malafaia na etapa preparatória.

Ficha técnica
Extensão:11 km
Saída:Entrada da Barragem, a 1.100m acima do nível do mar
Altura máxima:2.275m acima do nível do mar
Desnível de subida:1.175m

Classificação do percurso
de acordo com a NBR 15505-2, realizada pela guia Viviane Malafaia
Severidade do Meio:3 - Severo
Orientação no Percurso:3 - Exige a identificação de acidentes geográficos e de Pontos Cardeais
Condições do Terreno:3 - Percurso por trilhas escalonadas ou terrenos irregulares
Intensidade de Esforço Físico:4 - Esforço intenso

Trocando em miúdos, não é uma trilha para principiantes ou sedentários e é bom estar preparado fisicamente para enfrentá-la.

Fazendo uma análise pessoal - e totalmente subjetiva - dos itens constantes da NBR 15505-2, diria o seguinte:

  • Severidade do meio: o local é habitat de diversas espécies peçonhentas, por isso é bom ficar atento. Além disso, não há pontos de abastecimento, é preciso levar consigo equipamentos e suprimentos suficientes para o tempo de permanência. Os pontos de captação de água estavam muito baixos, alguns secos. No Abrigo 4 é possível reabastecer, mas é altamente recomendável o uso de purificadores de água;
  • Orientação: o caminho é bem sinalizado e o risco de desorientação é pequeno, mas fique atento: marcas de erosão ou o trânsito de animais podem gerar a falsa impressão de desvios;
  • Terreno: bastante irregular em alguns trechos, mas não há necessidade de escalaminhada ou rapel. A trilha é basicamente um zig-zag que vai acompanhando as curvas de nível da montanha. A caminhada é feita sob o arboreto que margeia o caminho, proporcionando sombra, mas impedindo a visão da paisagem em boa parte do trecho;
  • Esforço físico: esteja preparado para percorrer 11km em ascensão constante com uma mochila cargueira nas costas. Faça paradas curtas sempre que necessário, mas não se demore demais no caminho.

Como referência, segue o tempo gasto em cada etapa de nossa caminhada:

Subida
Início:09:00
Abrigo 01:10:00
Cachoeira Véu de Noiva:10:20
Abrigo 03:12:55
Mirante do Abrigo 03:13:30
Abrigo 04:15:30
Total:06:30
Saída rumo ao cume:16:25
Chegada:16:55
Retorno
Início:08:30
Abrigo 03:09:45
Abrigo 02:10:40
Cachoeira do Papel:11:20
Véu de Noiva:12:15
Abrigo 1:12:25
Porteira:13:16
Total:05:00

Sobre o equipamento

Nestes casos a regra é simples: leve somente o indispensável, pois cada quilo extra será um peso morto a ser transportado - nas suas costas! - montanha acima.

Para esta trilha é considerado indispensável:

  • roupas para frio extremo: mesmo que esteja agradável no sopé, lembre-se que lá em cima faz muito frio;
  • capa de chuva ou similar;
  • botas pré-amaciadas;
  • saco de dormir;
  • isolante térmico;
  • água potável;
  • purificador de água;
  • suprimentos.


Acampamos nos fundos do Abrigo 4, em busca de tranquilidade

O item barraca não foi incluído na lista porque o parque oferece a opção de aluguel de uma ou hospedagem no Abrigo 4 nas modalidades beliche e bivaque. Para saber preços e condições consulte a Tabela de Preços clicando aqui. Por falar nisso, no Abrigo 4 há banheiros e cozinha para uso dos visitantes, sendo que a cozinha não pode ser utilizada pelos campistas.

Abrigo 4, com barracas de aluguel à direita

Sobre o grupo

Para esta empreitada reunimos três participantes, mais a guia. No total éramos quatro excursionistas bem animados - afinal bom humor é fundamental - e isso ajudou muito durante o trajeto, pois o esforço acabou se diluindo entre inúmeras conversas, observações de pássaros (dois eram biólogos) e algumas discussões sobre conservacionismo em unidades de proteção ambiental. E aqui fica outra dica muito importante: não se aventure sozinho! Embora as regras do parque não exijam o acompanhamento de um guia, a presença de um profissional habilitado é altamente recomendável.

Organizando o equipamento antes da subida

Por fim, cansados mas felizes, ao encerrar esta aventura rumamos para um bom restaurante para colocar a fome em dia. E agora, toca a planejar a Travessia Petrópolis x Teresópolis para 2017!!

Veja estas e outras imagens no álbum Trilha da Pedra do Sino, no Facebook, e no perfil @gastandosola no Instagram.

Fonte


MINISTÉRIO do Meio Ambiente. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. Parque Nacional Serra dos Órgãos. Disponível em http://www.icmbio.gov.br/parnaserradosorgaos/. Acessado em 15 set. 2016.


Promoção de Aniversário!!

Venha gastar sola conosco!!
Em setembro o Gastando Sola Mundo Afora completa 03 anos de existência. E para comemorar no melhor estilo dos gastadores de sola fechamos uma parceria com a Agência Mila Turismo  - que é especialista em montar roteiros sensacionais - para realizar um tour no Morro de Santa Teresa, o bairro mais charmoso do Rio de Janeiro. Será uma caminhada entre amigos a ser efetuada no próximo dia 08 de outubro, onde os presentes irão desfrutar dos atrativos de Santa e participar do sorteio de diversos brindes úteis e divertidos.

A participação é gratuita, mas limitada a 20 vagas. Por isso estamos promovendo um sorteio entre os interessados e a condição para participar é curtir nossa página no Facebook. Para se inscrever no sorteio, clique aqui.


Venha Gastar Sola em Santa Teresa!
Quando: dia 08 de outubro
Onde: o ponto de encontro será na Sala Cecília Meirelles, no Centro do Rio
Horário: inicia às 10:00