segunda-feira, 21 de abril de 2014

Especial Tiradentes

José Joaquim da Silva Xavier, o Tiradentes, sempre foi uma figura controversa na história do Brasil. Filho de portugueses, para a Coroa Portuguesa, que o sentenciou a morte, não passava de um traidor. Obtida a independência brasileira, seguiu no ostracismo por ser republicano num império que mantivera a Casa de Bragança no poder. A mesma contra a qual se insurgira.

Monumento à Tiradentes - Rio de Janeiro.
A construção da imagem do Mártir da Independência começa a ser construída somente após a proclamação da república, no contexto da construção de uma identidade nacional para a nação brasileira. Os longos cabelos e a barba não condizem com o status de preso da época, mas aproximam a figura de Tiradentes a de Cristo, numa tentativa deliberada de enaltecer a figura do herói.

Mas se pararmos para pensar a respeito, tanto faz se a figura do herói foi construída pelos ideólogos da república ou forjada na luta contra a tirania. A verdade é que o alferes que se rebelou contra os desmandos da Corte Portuguesa no final do século XVIII talvez hoje encontrasse motivos de sobra para continuar se rebelando. Os títulos são outros, mas os abusos de quem detém o poder são os mesmos de sempre.

Tiradentes precisa ser lembrado, hoje mais do que nunca!