sábado, 3 de dezembro de 2016

Pampulha Retrô Tour, uma volta pelo passado - Belo Horizonte - MG

Quem conhece a região da Pampulha em Belo Horizonte sabe que ela preserva muito do charme da época em que foi construída. Então imagine a surpresa de quem está admirando as linhas modernistas do antigo Cassino, atual Museu de Arte da Pampulha, e se depara com uma Jardineira Chevrolet 57 em estado de nova subindo a rampa em sua direção. E para completar, descem de sua porta, lépidas e fagueiras, três belas guias com seus vaporosos vestidos estilo Anos Dourados!

Jardineira de 1957 leva turistas a uma volta pelo passado

Motorista e guias caracterizados dão um toque de época ao passeio

É o Projeto Pampulha Retrô Tour em ação, uma iniciativa da BELOTUR com o apoio da Associação Cultural dos Amigos do Museu de Arte da Pampulha -AMAP e do Museu de Objetos e Veículos Antigos – MOVA.

Compre aqui o seu bilhete!
Os passeios ocorrem somente aos sábados, domingos e feriados e vão até 18 de dezembro deste ano. A passagem custa R$ 20,00 e dá direito a quatro desembarques em atrativos de livre escolha dos passageiros. As viagens são acompanhadas por um guia, responsável por contar a história e curiosidades sobre o local. Os bilhetes podem ser adquiridos no ponto de partida, que vem a ser a Igreja São Francisco de Assis, na Pampulha.

Veja estas e outras imagens no álbum Pampulha Retrô Tour em nossa página no Facebook.

Rota Regular


  • Igreja São Francisco de Assis > Casa JK (parada);
  • Casa JK > Museu Brasileiro do Futebol (parada);
  • Museu Brasileiro do Futebol > Iate (sem parada);
  • Iate > Casa do Baile (sem parada);
  • Casa do Baile > MAP (parada);
  • MAP > Casa do Baile (parada);
  • Casa do Baile > Iate (parada não obrigatória);
  • Iate > Igreja São Francisco de Assis (Ponto final).

Rota Fundação Zoobotânica (Somente nos horários das 9h e 14h)


  • Igreja São Francisco de Assis > Parque Ecológico (parada no Marco Zero);
  • Parque Ecológico > Zoológico (parada);
  • Zoológico > Casa JK (parada);
  • Casa JK > Museu Brasileiro do Futebol (parada);
  • Museu Brasileiro do Futebol > Iate (sem parada);
  • Iate > Casa do Baile (sem parada);
  • Casa do Baile > MAP (parada);
  • MAP > Casa do Baile (parada);
  • Casa do Baile > Iate (parada não obrigatória);
  • Iate > Igreja São Francisco de Assis (ponto final).

Operação


  • Dias: sábados, domingos e feriados (somente até o dia 18/12/2016);
  • Horários: 9h*, 10h, 11h, 12h, 14h*, 15h, 16h, 17h;
  • *Às 9h e às 14h, a Jardineira estenderá o passeio e passará pelo Parque Ecológico e Zoológico;
  • Ponto de vendas dos bilhetes: ao lado da Igreja São Francisco de Assis (em frente a praça, na Alameda);
  • Custo do bilhete: R$ 20,00.

Fonte


PREFEITURA Municipal de Belo Horizonte. BELOTUR. Belotur lança o Pampulha Retrô Tour. Disponível em http://www.belohorizonte.mg.gov.br/sala-de-imprensa/noticia/belotur-lanca-o-pampulha-retro-tour. Acessado em 03 dez. 2016.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

2º Encontro da Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem - Belo Horizonte - MG

Num mundo cada vez mais virtualizado e em plena era da informação é comum que se estabeleçam laços com ilustres desconhecidos, acessíveis apenas através dos dispositivos eletrônicos que proliferam a nossa volta. Por isso é fundamental que de tempos em tempos as comunidades, mesmo as mais antenadas e descoladas, se reúnam ao vivo e a cores para trocar experiências, conversar, aprender e, principalmente, conhecer seus interlocutores virtuais.

Blogueiros se reuniram em Belo Horizonte


Carômetro, com os participantes do encontro
Fotos de Alessandra Fratus, do blog Tô Pensando em Viajar
Seguindo esta linha de raciocínio, aproximadamente 150 blogueiros, representando em torno de 100 diferentes blogs de viagens, se reuniram na capital mineira para confraternizar e discutir os rumos deste importante setor da área turística.

O encontro foi organizado pela Rede Brasileira de Blogueiros de Viagem - RBBV e ocorreu no período de 25 a 27 de novembro.

Apoiar o desenvolvimento de seus afiliados é uma atividade constante da Rede, desenvolvida deste 2011 através de inúmeras iniciativas, tais como palestras, conferências, grupos de discussão e outros. Só que desta vez havia um motivo a mais para reunir o pessoal: comemorar os cinco anos de existência da entidade, completados no domingo, dia 27!

Programação alternou palestras técnicas com atividades culturais


1º dia, curtindo o Mercado Central


Na sexta-feira a tarde foi realizada uma visita técnica ao Mercado Central de Belo Horizonte, onde os blogueiros puderam conhecer um pouco da gastronomia, do artesanato e da hospitalidade mineira. Um dado curioso fornecido por Mariana, a guia que nos acompanhou nesta atividade: a cada dia são comercializados em torno de 300 toneladas de queijo. É muito queijo!

Doce de leite chamou a atenção dos blogueiros

Vai uma pimentinha ai? Hora de testar novos sabores ...

A noite foi oferecido um jantar de boas-vindas, patrocinado pelo EASYSIM4U, no tradicional restaurante Maria das Tranças, que se orgulha de servir o melhor frango ao molho pardo do Brasil. Diga-se de passagem que o pastel de angu também deixou saudades ...

2º dia, todos ao MAP - Museu de Arte da Pampulha


Museu de Arte da Pampulha

Já no sábado pela manhã foi realizada a abertura dos painéis técnicos com a palestra Tendências do mercado de turismo mundial e brasileiro, apresentada em conjunto por  Claudia Saleh e Keith Jenkins. Ela é uma das fundadoras da RBBV e editora do blog Aprendiz de Viajante. Keith Jenkins é CEO da Iambassador empresa totalmente voltada ao uso das mídias sociais e marketing de influência para promover destinos, produtos e serviços.

Na sequência dois temas extremamente relevantes para os que operam na blogosfera:
  • Influência e Marca – Como usar as mídias sociais para alavancar o seu blog, painel moderado por Luciana Misura (editora do blog Colagem), com os painelistas: Lillian Brandão, Lily Pestana e Claudia Saleh;
  • Monetização e Afiliados, painel moderado por Thiago Khoury (jornalista e blogueiro no Rodei), com os painelistas Julia Minhoto, Rafael Miranda e Ana Catarina.
O almoço foi um acontecimento a parte, com as carrocinhas (food truck é o cacete!) de pão de queijo recheado e espetinhos fornecendo  os ingredientes para o piquenique improvisado nos jardins do MAP.

Pausa para repor as energias

Logo após o almoço, uma visita inesperada da Jardineira do projeto Pampulha Retrô Tour veio animar a turma, revivendo um pouco do glamour dos anos dourados (clique aqui para ver o álbum completo).

O Pampulha Retrô Tour marcou presença no evento

A tarde outra visita técnica, desta vez para conhecer o Complexo Pampulha, recentemente declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, a Praça da Liberdade e o Mirante das Mangabeiras, num oferecimento conjunto da Empresa Municipal de Turismo de Belo Horizonte - BELOTUR e da Secretaria de Estado de Turismo de Minas Gerais - SETUR.

Fila para a foto do carômetro

Vista do Mirante das Mangabeiras

Praça da Liberdade

E para fechar o dia com chave de ouro, jantar no Albanos, que ninguém é de ferro. Foram servidos deliciosos petiscos e chope gelado para  incrementar os contatos entre os blogueiros. Muita parceria aconteceu nesta noite entre um brinde e outro.

Hora de relaxar e aproveitar para fazer novos contatos

3º dia, Quality Hotel Pampulha


Apesar dos domingos tradicionalmente serem dedicado ao descanso, neste dia a turma aproveitou para entrar fundo na parte técnica do programa:

  • De blogueiro a empreendedor de sucesso – Moderação: Claudia Saleh, painelistas: Luciana Misura, Leonardo Marques e Dri Lima; 
  • Projetos criativos e inspiradores para elevar seu blog ao cume – Antônio Jr e Gustavo Ziller;
  • Relacionamento da indústria de turismo com os blogueiros – Moderação: Thiago Khoury, painelistas: Alberto G. Martins, Garon Piceli e Flavia Perin;
  • Conteúdo & SEO – Rafael Sette Camara;
  • Turismo Sustentável/Responsável – Luiza Antunes , Cris Marques e Claudia Saleh;
  • Workshop de Fotografia e Vídeo – Helder Ribeiro, Mauricio Oliveira e Fabio Pastorello.

Depois do encerramento oficial teve início uma rodada de Mentoring,  técnica na qual um blogueiro experiente apadrinha um ou mais blogs iniciantes e utiliza sua experiência para alavancar o desenvolvimento de seus pupilos.

Obrigado pela força


É claro que um acontecimento deste porte não ocorre sem a colaboração de voluntários e patrocinadores. E neste quesito cabe destacar o desprendimento de diversos afiliados, que doaram seu tempo e energia para que tudo corresse bem e as empresas listadas abaixo, cujo participação foi essencial para o sucesso da empreitada:

Patrocinadores

  • ViajaNet: venda de passagens, hospedagem em hotéis e aluguel de carros a um click de distância;
  • EasySim4U: conexão garantida aonde quer que você vá;
  • Zarpo: a agência de viagens online mais seletiva do mercado;
  • Booking: encontre aqui as melhores ofertas de acomodações;

Transportadora aérea oficial

LATAM


Apoio


Veja quem mais escreveu sobre o evento:


terça-feira, 15 de novembro de 2016

Alguns fatos sobre o Uruguai que não constam nas estatísticas oficiais, mas que você vai gostar de saber antes de viajar para lá

Na semana de 20 a 27 de outubro de 2016 estivemos Gastando Sola pelo Uruguai, nosso vizinho mais ao Sul e que compartilha a herança gaúcha com o estado brasileiro do Rio Grande do Sul.

É um país fabuloso, com um povo amável e hospitaleiro que nos recebeu muito bem. Ao longo deste tempo recolhemos alguns dados e impressões sobre los hermanos e sua terra que agora compartilhamos com nossos leitores.

Vamos aos fatos


A área total do Uruguai equivale a do estado brasileiro do Rio Grande do Sul.

O território uruguaio é muito plano, principalmente na região de Montevidéu e arredores. Se você está planejando comprar terras por lá, fique longe do litoral. Quando as calotas polares derreterem vai ser um Deus nos acuda!

Sua capital, Montevidéu, é segura - inclusive a noite. Encontramos alguns moradores de rua que nos pediram dinheiro e nada mais. E é bom que se diga que em nossas andanças - e foram muitas! - vimos menos mendigos na rua do que é comum avistar num único dia na Cinelândia, aqui no Rio de Janeiro.

A cidade é um prato cheio para os amantes da arquitetura, pois há belos prédios do final do século XIX e início do XX relativamente bem preservados espalhados por toda parte e com uma notável concentração na Ciudad Vieja.

Veja estas e outras imagens em @gastandosola, nosso perfil no Instagram ou em nossos álbuns no Facebook:
- Cementerio Central de Montevideo;
- Palácio Salvo.

Fachada da confeitaria Las Missiones.

No dia mais movimentado, no horário de pico, a Avenida 18 de Julio não chega aos pés - em termos de trânsito - da Rua do Catete, aqui no Rio.

Em uma semana, não vimos engarrafamentos em Montevidéu.

O Aeropuerto Internacional de Carrasco é pequeno. Realmente pequeno. Mas em compensação tem wi-fi grátis e de qualidade.

Atendimento em geral é demorado, principalmente no aeroporto. Na chegada perdemos mais de uma hora na fila de imigração. O check-in é outra demora certa, pois os atendentes conversam entre si e com os passageiros como se fossem velhos amigos.

Montevidéu é uma cidade muito limpa, com poucas pichações. As praças são bem conservadas e utilizadas pela população em seus momentos de lazer - inclusive à noite.

Plaza Constitución, também conhecida como Plaza Matriz.

Todos os lugares cheiram bem. Pelo visto, há um grande investimento em aromatizadores de ambiente no Uruguai.

A maconha está liberada. Entretanto não encontramos alguém fumando, nem mesmo sentimos o cheiro, ao contrário do que acontece na Praça São Salvador, aqui no Rio, onde um transeunte pode ficar chapado só de respirar o ar que circula por lá.

As pessoas estão sempre encasacadas, mesmo quando não está muito frio.

Carros são baratos. Combustível é caríssimo.

O vinho uruguaio é de excelente qualidade. Não deixe de provar o tanat, considerado carro chefe da produção local.

Se você gosta de vinhos preste atenção no seguinte: os passeios às vinícolas oferecidos pelas operadoras são absurdamente caros. Um tour de dia inteiro em Punta Del Este custou U$ 50,00 por pessoa, enquanto uma visita de quatro horas, no máximo, a uma bodega custaria U$ 84,00. Caso decida ir, organize-se por conta própria, pois o custo é bem menor. E deixe para comprar seus vinhos num dos inúmeros mercadinhos que se espalham pela cidade. O conteúdo é o mesmo, mas o preço é incrivelmente mais baixo do que na cantina da vinícola.

A devolução do IVA torna o uso de cartão de crédito vantajoso! Verifique sempre se o benefício foi aplicado em suas compras. Caso contrário, no aeroporto há um posto onde pode ser feita a solicitação. Detalhe curioso: este posto fica na área de desembarque.

Av. 18 de Julho, a principal da cidade.

Como há pouca gente, via de regra não há excesso de lotação nos lugares. Seja em ônibus, lojas, supermercados, sempre há lugar sobrando.

É comum os homens se cumprimentarem com um beijo no rosto. Vimos vários.

Segundo uma das guias de turismo que nos acompanhou, há mais ou menos 3.000.000 de habitantes no Uruguai e 12.000.000 de vacas! Ou seja, há quatro vacas para cada habitante! Apesar dessa desproporção o quilo da carne é alto, pois o produto se destina basicamente à exportação. Ainda de acordo com ela, a educação é totalmente gratuita e de qualidade da pré-escola ao ensino superior. Mesmo assim sobram vagas nas universidades públicas. Por outro lado, o custo de vida é altíssimo, principalmente no quesito alimentação.

Veja estas e outras imagens em @gastandosola, nosso perfil no Instagram ou em nossos álbuns no Facebook:
- Cementerio Central de Montevideo;
- Palácio Salvo.

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Cementerio Central, o mais antigo cemitério da capital uruguaia - Montevidéu - Uruguai

Antes de iniciarmos a viagem pelo Uruguai havia feito a lição de casa, traçando roteiros, checando cotações e definindo pontos de interesse para visitar. Por isso, já sabia que em Montevidéu havia o Cementerio Central, um local conhecido por sua impressionante coleção de arte funerária representativa da primeira metade do século XIX. Faltava apenas saber como chegar lá a partir do hotel em que nos encontrávamos. Por isso, ao passar pela recepção resolvi parar e perguntar.

Há anos visitamos e fotografamos campos santos e já estamos acostumados com a reação das pessoas quando pedimos alguma informação a respeito. Entretanto, não pude deixar de sorrir internamente ao perceber a surpresa do atendente quando soube aonde queríamos ir. Ao mesmo tempo fiquei na dúvida se meu portunhol havia sido claro o suficiente para passar o recado e repeti a pergunta:

- ¿Me puede decir cómo llegar al Cementerio Central?

- No lo sé. Yo voy ver, y por mañana le digo, respondeu ele baixinho.

Agradeci e seguimos a pé rumo à Rambla Sur, outro ponto interessante marcado em nossa agenda. Ao verificar o mapa para checar nossa posição, uma surpresa: o Cementerio Central  era um quadradinho verde relativamente próximo do nosso destino final daquele dia!

Como já imaginava, na manhã seguinte o atendente do hotel se limitou a nos dar bom dia e nem tocou no assunto! Chegar no Cemitério Central a partir do centro ou da Ciudad Vieja é muito fácil, tanto que decidimos ir caminhando até lá. Era uma quarta-feira e o local estava deserto.

Testemunhas da história


Durante nossa estada no Uruguai ocorreu o falecimento do ex-presidente Jorge Batlle. Como estávamos gastando sola e nos divertindo, só ficamos sabendo porque no dia anterior tentamos visitar o Palácio Legislativo e não pudemos entrar devido ao velório que estava sendo realizado. E neste dia, logo na entrada do cemitério,  me deparei com uma enorme coroa de flores encostada na parede. Numa fita lia-se o nome de uma embaixada sul-americana.

- Sinal que o sepultamento deve ter ocorrido aqui. Vamos poder concluir esta reportagem histórica, pensei com meus botões.

Um belo jardim


Basta atravessar os portões para ver que o local é muito bem cuidado. As alamedas estão conservadas e limpas. Além disso, o projeto original (ver abaixo) é respeitado ainda hoje. Os túmulos estão dispostos de tal forma que se mantém um bom espaço entre eles, o qual é preenchido com diferentes tipos de plantas ornamentais e algumas árvores. Além de transmitir uma sensação de harmonia, esta concepção ajuda a criar uma atmosfera de recolhimento e tranquilidade.

A área do cemitério é na verdade um grande jardim

Perambulamos sem ser incomodados por umas duas horas. Volta e meia um dos três funcionários encarregados da manutenção parava o que estava fazendo e ficava nos olhando de longe, por certo querendo saber o porquê de tanta foto!

Os gatos vivem soltos entre os jazigos

Um detalhe que nos chamou a atenção foi a quantidade de gatos que vivem por ali. Todos aparentemente saudáveis e bem alimentados, diga-se de passagem.

Veja estas e outras imagens no álbum Cementerio Central de Montevideo em nossa página no Facebook.

Um pouco de história


O Cementerio Central é a necrópole mais antiga e importante do Uruguai. Concebido pelo arquiteto Carlos Zucchi para ser um cemitério jardim, foi inaugurado em 1835 e desde então abriga grandes nomes da história do país, como Gerardo Matos Rodríguez (1897- 1948), autor de La Cumparsita - apreciadores de tango entenderão seu valor, Vaimaca Perú, último cacique charrua, diversos ex-presidentes, entre eles o recém falecido Jorge Batlle, bem como líderes militares, artistas e pessoas do povo.

Basicamente é um grande quadrilátero dividido em três setores que, provavelmente, foram sendo expandidos conforme escasseava o espaço disponível. Nos jazigos das famílias mais abastadas estão instaladas obras de famosos escultores italianos como José Livi, Juan Azzarini e Félix Morelli, ou de escultores uruguaios como José Belloni e José Zorrilla de San Martín- o qual encontra-se sepultado no Panteón Nacional.

Lápides são ricas em simbologia

Outro aspecto importante a destacar é a abundante simbologia utilizada nas sepulturas. Além das tradicionais ampulhetas, tochas e anjos chorosos é possível encontrar códigos maçonicos, símbolos militares, alegorias greco-romanas e representações da vida cotidiana dos entes queridos ali depositados, algumas com cenas fortes relacionadas ao tipo de morte do sepultado e outras  verdadeiramente tocantes.

A topografia da região metropolitana é basicamente plana, mesmo assim causa certa estranheza a escolha do local onde foi construído o cemitério: às margens do Rio da Prata. Normalmente instalações deste tipo são erguidas em locais altos, para evitar a contaminação do lençol freático, o que não ocorreu neste caso. Talvez o fato possa ser explicado pela situação vivida na primeira metade do século XIX, pois nesta época o terreno encontrava-se afastado do setor urbano. Com o inevitável crescimento da cidade, a necrópole acabou sendo engolida pela metrópole.

Veja estas e outras imagens no álbum Cementerio Central de Montevideo em nossa página no Facebook.

Cementerio Central


Endereço: Av. Gonzalo Ramirez, 1302
Telefone: 2900 2434
Funcionamento: de segunda a domingo, das 10 às 16 horas
Entrada franca
Linhas de ônibus: 137 - 396

Fontes


INTENDENCIA de Montevideo. Cementerio Central. Disponível em http://www.montevideo.gub.uy/institucional/dependencias/cementerio-central. Acessado em 01 nov. 2016

ENLACES uruguaios. Cementerio Central de Montevideo. Disponível em http://www.enlacesuruguayos.com/Cementerio.Central.htm. Acessado em 01 nov. 2016

sábado, 29 de outubro de 2016

Carta aberta à LATAM - Montevidéu - Uruguai

Mensagem da LATAM comunicando cancelamento do voo.
Detalhe: o site indicado não funcionava :(
No último dia 27 uma forte tempestade se abateu sobre o Uruguai, causando muitos estragos e forçando o cancelamento de diversos voos.

A equipe do GSMA estava no aeroporto de Carrasco - Montevidéu, pronta para embarcar de volta para o Rio quando isto aconteceu. Assim, pudemos testemunhar um festival de erros, descortesia, grosserias e descaso por parte da equipe da LATAM cuja função, naquela hora de dificuldade, seria justamente apoiar os passageiros para minimizar o desconforto da situação.

Estamos tentando nos comunicar com a empresa, mas o site de Contato da LATAM exibe um erro e não permite o cadastramento da reclamação (clique aqui para ver aviso que enviamos na página da LATAM). Enviamos uma mensagem via Facebook e até o momento não obtivemos resposta. Por isso decidimos publicar aqui a íntegra do texto enviado na forma de uma carta aberta à LATAM. Quem sabe assim eles tomem conhecimento do ocorrido.






Carta aberta à LATAM


Prezados,
Como usuário antigo e frequente da TAM, agora LATAM, foi com pesar que constatei que os princípios de bom atendimento ao cliente que sempre nortearam esta empresa foram completamente ignorados por ocasião do cancelamento do voo JJ8039 no dia 27 de outubro p.p., devido  as condições meteorológicas - o que é perfeitamente compreensível.

Em primeiro lugar, tomei conhecimento do cancelamento por uma mensagem SMS enviada para o meu celular pela empresa, pois no display do aeroporto aparecia apenas que o voo estava atrasado. Muito tempo depois apareceu esta informação no painel e um funcionário veio nos dizer que tínhamos que deixar a área de embarque e providenciar, por nossos meios, uma forma de contornar a situação.

Voltamos ao check-in, onde começou um jogo de empurra-empurra e contra-informação por parte da equipe da LATAM. De forma ríspida e grosseira nos diziam que deveríamos ligar para o call-center e que esta era a posição oficial da empresa. Entretanto, nossos celulares não podiam fazer ligações no Uruguai. Procurei um telefone público e descobri que a ligação não era gratuita. Sai então em busca de um cartão telefônico e constatei que não vendem cartões telefônicos no aeroporto! Pedi o celular emprestado a um uruguaio que se solidarizou com nossa situação e consegui falar com o tal call-center, só que a atendente disse desconhecer o caso e que não poderia me ajudar. Retornei ao check-in e falei com a supervisora que continuou a insistir que esta era a única solução proposta pela LATAM e que eu deveria continuar tentando contatar o call-center. Depois de explicar que não era possível e muito insistir ela cedeu um celular e - pasmem - o atendente disse que o procedimento adotado pela equipe do check-in estava incorreto. Passamos o telefone para a supervisora e depois de conversar com este atendente ela propôs outra solução: nos alocar num voo para São Paulo, sem conexões! Eu e minha esposa compramos um voo direto para o Rio de Janeiro, assim como outros passageiros que estavam naquela situação. Entretanto, não havia possibilidade de argumentação. O destino tinha que ser São Paulo e no dia seguinte. Transporte, hospedagem e alimentação teriam que correr por nossa conta. Sem opção e possibilidade de diálogo, aceitamos a troca do voo para São Paulo e procuramos um hotel para passar a noite, arcando com as despesas, obviamente.

Neste dia chegamos no aeroporto às 08:00 da manhã e só saímos de lá por volta das 19:00 (horário local). Cabe ressaltar a falta de cortesia com que fomos tratados. Como as pessoas não saiam da área de check-in para ligar para o tal call-center a supervisora entendeu por bem chamar a polícia para intimidar os passageiros. Se ela tivesse tido a competência de lidar com a situação corretamente tudo isso poderia ter sido evitado.

Por volta das 21:00 (hora local) ficamos sabendo por outro passageiro que haviam aberto um voo direto para o Rio e alguns haviam conseguido ser encaixados nele. No dia 28 bem cedo nos dirigimos ao aeroporto na esperança de conseguir vaga, mas o voo já estava lotado. Era outra equipe e a pessoa que nos atendeu ficou surpresa ao saber que haviam nos colocado num voo para São Paulo quando nosso destino era o Rio. Felizmente ela se dispôs a procurar uma conexão que nos atendesse. Para resumir, uma viagem que deveria ter sido feita em 03 horas no máximo durou 09 horas! Chegamos em São Paulo em Guarulhos e tivemos que nos deslocar até Congonhas, com risco de perder a conexão devido ao trânsito intenso da sexta-feira. Exausto e desapontado lembrava daquela TAM que recebia o passageiro com o tapete vermelho e cortesia. Simplesmente lamentável.

Ass. Paulo Cattelan - passageiro frequente da LATAM

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Caminhando e Sambando em Santa Teresa - caminhada de 3 anos do blog - Rio de Janeiro - RJ

Após uma semana de tempo fechado, chuva e frio o sol brilhou com força no último sábado, 08 de outubro, dia da caminhada comemorativa ao terceiro ano de existência do blog.

Participaram os sorteados na promoção Gastando Sola em Santa Teresa e alguns convidados. Para garantir a qualidade do evento, contamos com o apoio da guia Ludmila Gottschalk, da agência Mila Turismo, responsável pela organização do roteiro e guiamento. A logística gastronômica ficou por conta da Fornosura, que providenciou um carregamento de bolinhos decorados que arrancaram suspiros dos presentes e garantiram uma dose extra de energia para enfrentar as ladeiras do bairro.

E foi com muita alegria e descontração que o grupo se reuniu em frente à Sala Cecília Meirelles para dali seguir para o Hotel 55 Rio, antigo Hotel Bragança. O prédio ficou fechado durante muitos anos, tendo sido recentemente reformado e aberto ao público.  Aqui fomos recebidos pelo Sr. Cláudio, que contou um pouco da história do estabelecimento e a quem agradecemos pela gentileza.

Antigo Hotel Bragança, atual 55 Rio - fachada original foi preservada

No saguão do hotel

Depois, saímos da Lapa rumo à Santa Teresa pela Rua Teotônio Regadas, com uma rápida parada em frente a tradicional Adega Flor de Coimbra, considerada a mais antiga da cidade do Rio de Janeiro.

Adega Flor de Coimbra

Veja estas e outras imagens no álbum Gastando Sola em Santa Teresa em nossa página no Facebook.

Seguindo em frente, fizemos uma inevitável parada na Escadaria Selarón, um dos pontos turísticos mais visitados na região. Cariocas e turistas não cansam de admirar esta verdadeira obra de arte a céu aberto, deixada inconclusa pela morte repentina de Jorge Selarón, seu criador.

O grupo na Escadaria Selarón

Para o alto e avante!


No topo da escadaria fica a Ladeira de Santa Teresa, uma rua cuja inclinação faz jus ao nome! Felizmente Lau Parole, uma das integrantes do grupo, trouxe seu cavaquinho e soltou a voz, puxando sambinhas que animaram a caminhada morro acima, até o Parque das Ruínas.

Ladeira de Santa Teresa

É claro que depois desta subidinha puxada bateu aquela vontade de descansar na sombra e, aproveitando o momento, foram distribuídos os bolinhos da Fornosura e cantado o "parabéns a você" em homenagem ao aniversário do blog.

Descansando e aproveitando a paisagem

Ludmila e os bolinhos da Fornosura

Alimentada e descansada, a turma foi seguindo os passos da guia até o Largo do Curvelo, onde além da estação do bonde há também um conjunto arquitetônico notável. Mais alguns passos e outro largo, desta vez o dos Guimarães - ponto de maior concentração de bares, botecos, lojinhas, turistas e boêmios do bairro.

Mural que homenageia Nelson Correia da Silva, motorneiro que morreu em acidente em 2011

Outro ponto que não poderia ficar de fora é o Centro Cultural Laurinda Santos Lobo, que além de um belo casarão do início do século XX tem a oferecer uma extensa programação que inclui teatro, música e artes plásticas.

Um bonde chamado Gastando Sola Mundo Afora

Para terminar com chave de ouro, uma visita ao jardim do Museu Casa de Benjamin Constant, que não por acaso se constitui numa Área de Preservação Ambiental - APA em pleno centro da cidade! Aproveitando a tranquilidade do lugar, foram distribuídos brindes aos participantes e realizado o sorteio de diversos itens.

E assim, com todos cansados, mas felizes, foi encerrado o evento mais animado que o blog já promoveu até hoje! Um sincero obrigado a todos que se dispuseram a caminhar conosco nesse passeio e nestes três anos de existência, na certeza de que muitos outros virão.

Um agradecimento especial aos nossos parceiros de jornada:


  • Fornosura, porque sem ela não haveria bolo!;
  • Hotel Regina, que contribuiu com diversos itens do kit distribuído aos presentes;
  • Kaapora Design, pelos marcadores de livro super criativos em Vegplac;
  • Mila Turismo, pelo apoio na organização do roteiro e execução do guiamento.


sábado, 24 de setembro de 2016

Vamos gastar sola em Santa Teresa !!

O Gastando Sola Mundo Afora está completando 3 anos de caminhada e vamos comemorar com um passeio por Santa Teresa, o bairro mais charmoso do Rio de Janeiro.

Será no dia 08 de outubro e o blog está promovendo o sorteio de 20 participantes que irão desfrutar do evento gratuitamente. Para participar, basta se inscrever clicando aqui! Depois, leia as instruções e clique no botão QUERO PARTICIPAR.

Venha comemorar e se divertir com a gente! Vai ter distribuição de brindes, sorteios e até bolo.

E não esqueça de trazer sua câmera fotográfica, pois estaremos publicando as fotos enviadas pelos participantes em nossa página no Facebook.

Roteiro


A organização do roteiro ficou por conta da guia, amiga e parceira Ludmila Gottschalk, da agência Mila Turismo, que durante o trajeto irá contando as histórias de cada local visitado. O ponto de encontro será na sala Cecília Meirelles, na Lapa, e a saída está prevista paras as 10:00 com o seguinte itinerário:

  1. Sala Cecília Meirelles e entorno;
  2. Escadaria Selaron;
  3. Parque das Ruínas;
  4. Largo do Curvelo;
  5. Largo do Guimarães;
  6. Centro Cultural Laurinda Santos Lobo 

Vai ter bolo!


Ao final do passeio haverá a distribuição de um kit montado com itens de escritório oferecidos pelo Hotel Regina e  marcadores de livro feitos com Vegplac, uma exclusividade da Kaapora Design.  Isso sem falar no sorteio de três pulseiras paracord e de um saco estanque para tablet.

E para encerrar com chave de ouro, vamos degustar os já famosos bolos da D. Renata, do blog Fornosura.

Kit oferecido pelo Hotel Regina inclui diversos itens de escritório.  

Pulseiras paracord, item indispensável em qualquer trilha ou viagem.

E aí, vai ficar fora dessa? Inscreva-se agora e concorra a uma das 20 vagas disponíveis. Contamos com sua presença!! Clique aqui para participar.