sábado, 23 de novembro de 2013

Arcos da Lapa - Rio de Janeiro - RJ

O Aqueduto da Carioca, popularmente conhecido como Arcos da Lapa, é parte da maior obra de engenharia do Brasil Colônia e destinava-se a transportar água do Morro do Desterro (atual Morro de Santa Teresa) aos chafarizes que abasteciam a população no que é hoje o Largo da Carioca e a Praça XV.

A construção atual foi inaugurada em 1750 e encontrava-se fora dos limites da cidade, mas hoje está incorporada à paisagem urbana e é considerada símbolo do Rio Antigo. É também o cartão postal da zona boêmia e a área livre em seu entorno costuma ser utilizada para realização de grandes eventos artísticos e musicais.
Com a modernização do sistema de abastecimento de água, o aqueduto foi perdendo sua função original e, a partir de 1896, passou a ser utilizado como viaduto para os novos bondes de ferro da Companhia de Carris Urbanos, principal meio de acesso do centro aos altos do bairro de Santa Teresa, até 2011.

Após um trágico acidente, a circulação de bondes foi suspensa e a marca registrada da Lapa - com o bondinho sobre os Arcos - ficou apenas na memória. Recentemente o governo do Estado anunciou o início das obras para o retorno deste meio de transporte (para ver a matéria sobre o retorno dos bondes, clique aqui).


Ninguém se cansa de contemplar os Arcos da Lapa.
No one gets tired of contemplating the Arcos da Lapa.

Mulheres da Providência, intervenção urbana do fotógrafo JR.
Women of Providence, urban intervention of the photographer JR.

Devido a sua grande visibilidade, frequentemente os Arcos da Lapa são utilizados em performances e intervenções artísticas, como esta do fotógrafo francês JR em abril de 2009. Aqui o artista utilizou fotos de mulheres do Morro da Providência para compor uma curiosa sequência de imagens.



Os Arcos da Lapa vistos do alto do Morro Santa Teresa.
Arcos da Lapa viewed from the top of Santa Teresa Hill.


Arcos da Lapa - Rio de Janeiro - RJ

The Carioca Aqueduct, popularly known as Arcos da Lapa, is part of the biggest engineering project of colonial Brazil and was designed to carry water from the Desterro Hill (current Santa Teresa Hill) to the fountains which has supplied the population in what is now the Largo da Carioca and Praça XV.

The current construction was opened in 1750 and lay outside the city limits, but is now incorporated into the urban landscape and is considered a symbol of the Rio Antigo (old part of the Rio de Janeiro city). It is also the postcard of the bohemian area and the large open area around it is usually used to carry out major artistic and musical events.

With the modernization of the water supply system, the aqueduct was losing its original function and, from 1896, was converted in a bridge to the new trams of the company of urban cars. It was the main way of access from downtown to the high part of Santa Teresa district, until 2011.

After a tragic accident, the trams service was suspended and the traditional picture of Lapa - a trolley passing on the Arches - remains in the past. Recently the state government announced the start of construction for the return of such transportation

Because of their high visibility, often the Lapa Arches are used in performances and artistic interventions, such as made by the french photographer JR in April 2009. In this time the artist used pictures of women of Providencia Hill to compose a curious sequence of images.