domingo, 15 de junho de 2014

Greve da Cultura deixa Seresteiros do Palácio ao relento - Rio de Janeiro - RJ

Enquanto prossegue a queda de braço entre os funcionários do Ministério da Cultura e a Ministra Marta Suplicy, os museus federais continuam fechados e os maiores prejudicados são os turistas que vem de todas as partes para a Copa do Mundo e o público local, que se vê privado de um importante espaço de lazer.

Impedidos de entrar, Seresteiros ocupam espaço improvisado em frente ao Museu da República.

É o caso dos Seresteiros do Palácio, grupo da terceira idade que há mais de 20 anos se reúne nos jardins do Museu da República para tocar, cantar e se divertir ao som de eternos sucessos da música popular brasileira. Alegres e determinados, é a vontade de rever os amigos que mantém o grupo unido há tanto tempo, mesmo que para isso seja necessário enfrentar dificuldades de locomoção ou problemas de saúde.

Alegria de cantar juntos supera precariedade do local. 

A estas dificuldades agora vem se somar mais uma. Com o fechamento dos portões do Palácio do Catete, devido à greve, os seresteiros não tem mais acesso ao seu recanto de tantos anos e se veem obrigados a ocupar um espaço ao lado de uma estação do metrô. O local é escuro, desconfortável e em nada lembra o charme do jardim aonde costumavam se encontrar (clique aqui para ver o post sobre o Palácio do Catete).

D. Evinha, à direita, não se conforma com a situação gerada pela greve.

D. Evinha, uma das integrantes, se mostra indignada com a situação e considera um desrespeito com o grupo o que está acontecendo. Segundo ela, há falta de sensibilidade por parte dos funcionários, pois o grupo é um antigo frequentador do Museu e agora se vê privado do mínimo de conforto e segurança para suas reuniões. Pelo visto, a solução para este problema ainda está longe de ser encontrada.

O movimento paredista teve início em maio deste ano e até o momento não há perspectiva de solução. Apesar de uma sentença do STJ do dia 04 de junho determinar o fim da greve, os museus federais ignoram a decisão e permanecem fechados. Por outro lado, a Ministra Marta Suplicy deixou bem claro a importância que dá ao assunto ao afirmar que "turistas tem outras opções" e não dar sinais que está disposta a negociar com os grevistas. Só resta esperar que o bom senso traga as partes de volta à mesa de negociações para que os Seresteiros do Palácio do Catete possam sair do relento.

Esta história teve um final feliz. Com o fim da greve os Seresteiros puderam retornar aos jardins e continuar fazendo o que mais gostam: música! Veja o posta Os Seresteiros Estão de Volta, clicando aqui. (Atualizado em 07 jul. 2014)